Entidades estratégicas de Castelo Branco acreditadas no âmbito da tipologia Vales Oportunidades para a prestação de serviços pelo Portugal 2020

Entidades estratégicas de Castelo Branco acreditadas no âmbito da tipologia Vales Oportunidades para a prestação de serviços pelo Portugal 2020

Entidades estratégicas de Castelo Branco acreditadas no âmbito da tipologia Vales Oportunidades para a prestação de serviços pelo Portugal 2020

O CATAA – Centro de Apoio Tecnológico Agroalimentar e a InovCluster – Associação do Cluster Agroindustrial do Centro foram acreditadas para a prestação de serviços no âmbito do Sistema de Incentivos “Vales”, enquadrados no Portugal2020.
O CATAA está acreditado como entidade para a Prestação de Serviços no âmbito do Projeto “Vale Oportunidades de Investigação”. Este tipo de Vale apoia projetos que promovem a avaliação e identificação de problemas técnicos que importa resolver de forma a reforçar a competitividade de empresas ao nível de melhoria de produtos e processos e tem um incentivo máximo de 15.000€ (5.000€ para os serviços de diagnóstico e 10.000€ para os serviços de assistência técnica à implementação de recomendações de curto prazo).

A InovCluster está acreditada como entidade para a Prestação de Serviços no âmbito do Projeto “Vale Oportunidades de Internacionalização”. Os serviços prestados neste tipo de Vale visam a promoção de diagnósticos comerciais, a identificação de oportunidades de internacionalização, ao nível de produtos/serviços e mercados associados, e das estratégias de marketing adequadas, designadamente permitindo uma evolução na cadeia de valor, incluindo a assistência técnica que permita a implementação imediata de decisões de marketing e atividades de prospeção inicial de mercados externos. Este vale tem um incentivo máximo para prestação de serviços de 10.000€ (5.000€ para os serviços de diagnóstico e 5.000€ para os serviços de assistência técnica à implementação de recomendações de curto prazo).

A InovCluster, que desenvolve desde 2009 a Estratégia de Eficiência Coletiva do Cluster Agroindustrial do Centro, com vista à dinamização, desenvolvimento e promoção do setor agroindustrial da região, dispõe de competências técnicas e vasta experiência que permitem o apoio às empresas por parte de profissionais altamente qualificados que desenvolvem ações através de cinco unidades de intervenção:
+Empreendedorismo, +Internacionalização, + IDT, +Comunicação e +Cooperação.

A CATAA, através do Centro de Apoio Tecnológico Agroalimentar constitui um centro de excelência, a nível nacional e transfronteiriço, no apoio tecnológico ao sector agroalimentar através da dinamização de projetos de investigação, desenvolvimento e inovação. O Centro tem uma capacidade instalada ao nível dos recursos, quer técnicos quer tecnológicos, que lhe permite uma especialização de topo ao nível da investigação e desenvolvimento tecnológico ao setor agroalimentar. A CATAA, reforça a sua atuação ao nível regional ao tecido empresarial em geral, por via do CEi – Centro de Empresas Inovadoras, uma aposta do Município no reforço da competitividade da região através da promoção de iniciativas que apoiam o empreendedorismo, nomeadamente na incubação de empresas às quais proporcionam acompanhamento técnico, serviços de apoio altamente qualificados. Estas duas entidades constituem uma aposta estratégica do Município de Castelo Branco para o reforço da competitividade empresarial da região.

Comente este artigo
Anterior L'aide au répit pour permettre aux agriculteurs de souffler
Próximo Lait : vérifier la rentabilité des concentrés

Artigos relacionados

Últimas

Carcaças dos bovinos abatidos na região com qualidade

[Fonte: Açoriano Oriental]
Segundo uma nota de imprensa do executivo açoriano, a percentagem atingiu mesmo 100% no mês de fevereiro nos matadouros de Santa Maria, Graciosa, São Jorge, Faial e Flores, acrescentando que “a totalidade das carcaças rastreadas nesse período, tanto para consumo como para exportação, […]

Últimas

Incêndios queimaram 61.624 hectares de floresta num primeiro semestre de 2017

[Fonte: Agricultura e Mar]
A base de dados nacional de incêndios florestais regista, entre 1 de Janeiro e 30 de Junho de 2017, um total de 6.641 ocorrências (1.662 incêndios florestais e 4.979 fogachos) que resultaram em 61.624 hectares de área ardida de espaços florestais, […]

Últimas

A maior reforma da floresta que o país já conheceu

[Fonte: Voz do Campo]
O Parlamento acaba de aprovar novas regras na defesa contra incêndios, uma delas consiste mais vigilância.
Para trás ficou uma das principais propostas, a do Banco de Terras que iria incluir as terras sem dono. Aprovado ficou também um sistema de cadastro simplificado, […]