Comissão prepara chumbo de insecticidas com clorpirifos-metilo. CAP contra

Comissão prepara chumbo de insecticidas com clorpirifos-metilo. CAP contra

A Direcção Geral de Saúde da Comissão Europeia vai realizar, no próximo dia 21 de Outubro, em Bruxelas, uma reunião onde consta a proposta de “não aprovação” da substância activa clorpirifos-metilo, usada em insecticidas para o combate a pragas e doenças de culturas do Sul da União Europeia.

A CAP — Confederação dos Agricultores de Portugal considera que esta proposta “deve ser retirada da agenda, por resultar de um conjunto de medidas nunca antes adoptadas e cientificamente incorrectas”.

Isto porque “esta substância activa é “da maior importância em culturas como os citrinos, a pêra Rocha, as macieiras e a vinha, para além de ser fundamental no combate a pragas de quarentena como o Scaphoideus titanus (Flavescência dourada) em vinha, a Trioza erytreae (Psila africana) em citrinos e Halyomorpha halys (Percevejo asiático) em pomóideas”.

DGAV alerta para perigo para as abelhas

Segundo a DGAV — Direcção-Geral de Alimentação e Veterinária, os insecticidas com a substância activa clorpirifos-metilo, actuam por contacto, ingestão e fumigação. E acrescenta que é “muito perigoso para abelhas; não aplicar na época de floração. Extremamente perigoso para organismos aquáticos. Não aplicar em terrenos agrícolas adjacentes a cursos de água”.

Mas, para a Confederação dos Agricultores de Portugal, a proposta agora colocada sobre a mesa, de não aprovação do clorpirifos-metilo, “para além de não seguir, pela primeira vez, um processo normal de consulta aos Estados-membro, sofre também, pela primeira vez, de um processo de condenação de uma substância activa por extrapolação de resultados de outra substância (extrapolação do clorpirifos-etilo para o clorpirifos-metilo)”.

Sem relatório da EFSA

“Pela primeira vez, no processo de reavaliação de substâncias activas a nível Europeu, a Comissão Europeia propõe-se solicitar a opinião dos Estados-membros sobre a proposta de não aprovação de uma substância activa, sem que os Estados-membros disponham de toda a informação necessária para se poderem pronunciar e, neste caso em concreto, sem que a EFSA – Agência Europeia de Segurança Alimentar – tenha emitido o seu relatório de avaliação”, salienta a CAP.

Para a direcção da Confederação dos Agricultores de Portugal, “tudo isto resulta da pressão exercida por organizações não governamentais, com o objectivo de não permitir o adiamento da aprovação de substâncias activas a nível europeu por falta de pareceres técnicos, procedimento este que tem sido seguido, e bem, pela Comissão, até ao momento”.

“Situação é completamente inaceitável”

Segundo a CAP, esta “situação é completamente inaceitável e não deveria ser tolerada por nenhum Estado-membro, já que abre um precedente que tornará o processo de avaliação europeu totalmente imprevisível e pouco transparente, já que a ciência é, mais uma vez, relegada para segundo plano”.

Para a CAP trata-se de um processo de condenação de uma substância activa por extrapolação de resultados de outra substância (extrapolação do clorpirifos-etilo para o clorpirifos-metilo). “De facto, as duas são substâncias da mesma família química, mas têm características diferentes e, acima de tudo, têm dossiers e avaliações distintos. Por este motivo, o Estado-membro relator (Espanha) chegou a conclusões diferentes na avaliação das duas substâncias activas, tendo proposto a aprovação do clorpirifos-metilo”.

CAP quer Potugal com voz activa

A Confederação salienta ser fundamental que Portugal participe e tenha “uma voz activa na próxima reunião de dia 21 de Outubro, denunciando o facto de se estarem a implementar dois novos processos inaceitáveis”.

A CAP alerta para a gravidade destas questões, não apenas pela importância da substância activa em causa, mas também porque cria uma “linha de conduta completamente nova ao nível dos procedimentos a serem seguidos no futuro, abrindo vários precedentes perigosos, já que não têm em conta a técnica, a ciência e o rigor, mas sim opções políticas de contornos duvidosos”.

Agricultura e Mar Actual

O post Comissão prepara chumbo de insecticidas com clorpirifos-metilo. CAP contra aparece primeiro no AGRICULTURA E MAR ACTUAL.

O artigo foi publicado originalmente em Agricultura e Mar.

Comente este artigo
Anterior Agroglobal 2020
Próximo Rayées, les vaches plaisent moins aux mouches

Artigos relacionados

Nacional

Escuteiros plantam 500 árvores na Serra da Estrela

Quinhentas árvores vão ser plantadas, no sábado, 26 de Outubro, no Parque Natural da Serra da Estrela, por escuteiros adultos, no âmbito de um projecto ambiental da associação Fraternidade de Nuno Álvares (FNA). […]

Últimas

Lavoura dos Açores beneficia de dois projetos que reforçam abastecimento de água

Em declarações à agência Lusa, à margem da assinatura dos contratos para a construção do reservatório e da hidropressora, na freguesia das Sete Cidades, […]

Nacional

Desafio para reforma florestal avança em clima de tragédia dos incêndios

Há décadas que consta das promessas políticas e nesta legislatura não foi exceção, com o primeiro-ministro a afirmar que a reforma da floresta tem de avançar enquanto “estiver bem viva na memória a tragédia” dos incêndios em Portugal. […]