Baixo Mondego cultiva arroz com menos semente certificada por hectare

Baixo Mondego cultiva arroz com menos semente certificada por hectare

[Fonte: Vida Rural]

Os produtores de arroz do Baixo Mondego podem este ano realizar as suas culturas de arroz com apenas 90 quilos de semente certificada por hectare. A decisão é do Governo, que determina esta medida “a título excecional” depois de um pedido da Associação Distrital dos Agricultores de Coimbra (ADACO).

O despacho publicado pelo diretor-geral da Agricultura e Desenvolvimento Rural, Gonçalo de Freitas Leal, autoriza que, para as sementeiras de 2019, “a quantidade mínima de semente certificada das variedades de arroz carolino ‘Ariete’ e ‘Teti’ possa ser reduzida de 120 quilos para 90 quilos por hectare”.

“Os orizicultores englobados na produção integrada”, ao abrigo das chamadas medidas agroambientais do Ministério da Agricultura, Florestas e Desenvolvimento Rural, “são obrigados” a semear 120 quilos de arroz selecionado e certificado por hectare de área cultivada. No Baixo Mondego, contudo, “há falta de arroz de semente certificado das qualidades ‘Ariete’ e ‘Teti’, devido a problemas nos países fornecedores destas duas qualidades, Itália principalmente, mas também Espanha, onde “foi reduzida a produção de semente”.

Isménio Oliveira, coordenador da ADACO, sublinha que “não há em quantidade suficiente arroz certificado das duas principais variedades que se semeiam no Baixo Mondego. As outras qualidades existentes no mercado não são compatíveis com os nossos solos, a sua produtividade é muito baixa e a indústria não quer este arroz”.

“Esta diminuição de 30 quilos por hectare vai permitir que todos os orizicultores, dentro da produção integrada, possam começar a sua sementeira” ainda em abril, acrescenta.

Comente este artigo

O artigo Baixo Mondego cultiva arroz com menos semente certificada por hectare foi publicado originalmente em Vida Rural.

Anterior Turista agredida com pedras e facadas na ilha Terceira
Próximo DGAV confirma novos focos de Xylella fastidiosa no país

Artigos relacionados

Nacional

GP PCP: resposta do Governo à pergunta do PCP sobre a disponibilização à Direção Regional de Agricultura e Pescas do Algarve de recursos humanos, materiais e financeiros adequados

No passado dia 27 de Março, uma delegação do PCP reuniu com o Diretor Regional de Agricultura e Pescas do Algarve e elementos da sua equipa, para se inteirar das dificuldades que esta Direção Regional enfrenta no prosseguimento da sua missão.
A Direção Geral de Agricultura e Pescas do Algarve teve, […]

Últimas

Urso-pardo já terá abalado para terras espanholas

[Fonte: Expresso]

O jovem macho de urso-pardo oriundo da Cordilheira Cantábrica, que passeou pelas Terras Frias Transmontanas entre finais de abril e meados da semana passada, já deve ter regressado “a casa”. Os técnicos do Instituto de Conservação da Natureza e das Florestas (ICNF) “deixaram de encontrar vestígios da sua presença”, […]

Últimas

Semapa Next: “Há alguma lacuna de dinheiro para startups nas rondas de milhões”

[Fonte: O Jornal Económico]

Cinco ou seis minutos para agradar, pelo menos, um investidor internacional. Foi em contrarrelógio que as 10 startups que já conquistaram a portuguesa Semapa e a aceleradora norte-americana Techstars tiveram a missão de encantar o público mais difícil: a audiência.Do “Waze dos perdidos e achados” […]