Vai continuar a comer carne de vaca? Marcelo responde à polémica do momento

Vai continuar a comer carne de vaca? Marcelo responde à polémica do momento

[Fonte: Rádio Renascença]

De visita a Viseu, Presidente aproveitou para elogiar o nível e o civismo dos debates políticos na pré-campanha eleitoral.

Apesar da polémica instalada nos últimos dias, o Presidente da República, Marcelo Rebelo de Sousa, garante que vai continuar a comer carne de vaca.

A Universidade de Coimbra (UC) anunciou esta semana que vai eliminar o consumo de carne de vaca nas cantinas universitárias a partir de janeiro de 2020, por razões ambientais. E as críticas têm surgido de vários setores, nomeadamente dos bovinicultores e do ministro da Agricultura, Capoulas Santos.

Em declarações aos jornalistas esta quinta-feira à noite, em Viseu, Marcelo Rebelo de Sousa começou por ser questionado sobre a ementa do jantar.

“Eu agora estava a ver se me recordava daquilo que comi, como foram vários pratos de vários chefs… Não tenho a certeza, mas é possível que sim. Se porventura havia [carne de vaca], eu comi”, afirmou.

“Se me pergunta se vou continuar a comer carne de vaca ou carne de qualquer outro ruminante… Com a idade come-se cada vez menos carne, mas eu tenciono continuar a comer carne, nomeadamente carne de vaca. Isso tenciono”, sublinhou o chefe de Estado.

Marcelo Rebelo de Sousa esteve esta quinta-feira em Viseu, onde atribuiu o título de membro honorário da Ordem de Mérito ao Teatro Viriato e marcou presença na abertura do “Viseu Estrela à Mesa”.

O Presidente aproveitou para elogiar o nível e o civismo dos debates políticos na pré-campanha eleitoral e considerou que, com “tantas possibilidades de escolha” e empenhamento dos partidos só se pode esperar uma menor abstenção nas legislativas.

“Tenho acompanhado a campanha, não me pronuncio, tenho estado rigorosamente silencioso, como devo estar, mas tenho apreciado a campanha, tenho apreciado o nível dos debates, muito serenos, mesmo quando veementes e demonstrando quando as suas opiniões são muito diversas, com uma civilidade, com uma urbanidade, com um respeito entre os representantes das várias forças políticas”, elogiou Marcelo Rebelo de Sousa.

O Presidente da República considerou ainda que os debates têm tido “uma preocupação de esclarecer, tocando todos os pontos”, acrescentando que “não há praticamente nenhum domínio que não tenha sido tratado: político, económico, social, educativo e mesmo cultural”.

Sobre a demissão do secretário de Estado da Proteção Civil, José Artur Neves, na sequência do caso das golas antifumo, Marcelo Rebelo de Sousa diz apenas que aceitou o pedido de exoneração e não se pronuncia sobre matérias do “foro da investigação criminal”.

O presidente da Autoridade Nacional de Emergência e Proteção Civil (ANEPC), Mourato Nunes, também foi constituído arguido, mas garantiu esta quinta-feira que não vai demitir-se. O Presidente da República também recusou fazer comentários.

Questionado sobre o chumbo do Tribunal Constitucional às chamadas barrigas de aluguer, Marcelo Rebelo de Sousa diz que a decisão dos juízes veio confirmar as suas dúvidas.

Comente este artigo

O artigo Vai continuar a comer carne de vaca? Marcelo responde à polémica do momento foi publicado originalmente em Rádio Renascença.

Anterior Alemanha vai investir 40 mil milhões na economia sustentável
Próximo Bruxelas pede explicações sobre caso das golas antifumo que tiveram apoio comunitário

Artigos relacionados

Notícias florestas

​Incêndios. GNR deteve 54 pessoas e registou 6.337 multas devido à falta de limpeza

[Fonte: Rádio Renascença]

Entre 15 de janeiro e 10 de outubro, dia em que terminou o período crítico do Sistema de Defesa da Floresta Contra Incêndios, […]

Últimas

Julho: menos recolha de leite de vaca e do leite para consumo público

[Fonte: Agricultura e Mar]
A recolha de leite de vaca em Julho de 2019 foi 158,2 mil toneladas, […]

Sugeridas

Mercadona aumenta o investimento em 50%, chegando aos 1.504 milhões de euros, e fatura mais 6%, num total de 24.305 milhões de euros

[Fonte: Mercadona]
Depois de decidir, há dois anos, iniciar um processo disruptivo e fazer o que fosse necessário para transformar a empresa e continuar a ser a melhor opção para “o Chefe”
• Com a criação de 1.800 novos empregos estáveis e de qualidade, […]