Governo altera fundo de apoio aos criadores de ovinos inativo há uma década

Governo altera fundo de apoio aos criadores de ovinos inativo há uma década

O Governo alterou, por diploma, a gestão de verbas do fundo de apoio aos criadores de ovinos, criado em 1998 para adiantamentos para as tosquias, concentração da lã e leilões de venda, mas que nunca foi usado.

Apesar disso, campanhas de tosquias, concentração e venda de lã continuam a ser anualmente promovidas pela ACOS – Agricultores do Sul (ACOS), razão pela qual, no decreto-lei publicado em Diário da República, o Governo considerou “adequado proceder à transferência” da competência de gestão do fundo para a ACOS.

“Compete à ACOS gerir as verbas que constituem o fundo de apoio à organização do setor da lã”, refere o executivo no documento.

O fundo pretende apoiar os criadores de ovinos nas operações de tosquia, concentração da lã e leilões destinados à venda do produto, concedendo adiantamentos do valor a receber com a venda da lã, a restituir após essa venda.

O fundo é comparticipado pelo Estado – através das verbas inscritas no orçamento do, então, Instituto Nacional de Intervenção e Garantia Agrícola (INGA) – e pelas associações de produtores do setor.

A gestão dos capitais do fundo competia à Federação das Associações de Produtores de Ovinos e Caprinos (FAPOC), enquanto a Direção Geral do Desenvolvimento Rural (DGDR) aprovava os planos de atividades submetidos pela FAPOC e o INGA assegurava o controlo das verbas que constituíam o fundo.

“Este fundo encontra-se há, pelo menos, 10 anos sem ser utilizado, além de que a FAPOC não tem desenvolvido qualquer atividade de há uns anos a esta parte”, lê-se no despacho governamental hoje publicado.

O Instituto de Financiamento à Agricultura e Pescas (IFAP), que sucedeu ao INGA nas suas atribuições, passa a ser a entidade de controlo das verbas que constituem o fundo, segundo o mesmo diploma.

O despacho publicado produz efeitos a partir da campanha de 2018 e entra em vigor no final de Maio.

Fonte: Sapo.pt

O artigo foi publicado originalmente em Gazeta Rural.

Comente este artigo
Anterior União Europeia disponibiliza pacote de financiamento para agricultores, sobretudo jovens
Próximo Recuperação de áreas ardidas em Boticas apoiada pelo Fundo Recomeçar

Artigos relacionados

Últimas

Peste suína leva China a proibir carne de Timor-Leste

A China interditou a entrada de carne de porco proveniente de Timor-Leste devido ao surto de peste suína africana detetado no arquipélago. […]

Últimas

Jornadas do Porco Bísaro em Vinhais – 7 de fevereiro

A Associação Portuguesa de Engenharia Zootécnica (APEZ) em conjunto com a Associação Nacional de Criadores de Suínos da Raça Bísara (ANCSUB) vai realizar as Jornadas do Porco Bísaro, […]

Últimas

CAP aplaude tranche financeira de 85 milhões de euros mas é preciso mais para salvar setor

A CAP, Confederação dos Agricultores de Portugal, aplaude o pedido da ministra da Agricultura a Bruxelas para que dê luz verde a uma tranche […]