PS/Açores defende que mercados têm de “ser justos” em relação ao preço do leite

PS/Açores defende que mercados têm de “ser justos” em relação ao preço do leite

O PS/Açores está preocupado com o preço do leite e a crise do escoamento do produto e defende que “os mercados são livres, mas não podem nem devem nunca deixar de ser justos”.

No final do segundo dia de visitas e reuniões de deputados socialistas com associações e indústrias do setor do leite de São Miguel, a parlamentar Patrícia Miranda destacou a “preocupação com o preço do leite”, numa altura em que se atravessa “uma das maiores crises de escoamento do produto”.

“Os mercados são livres, mas não podem nem devem nunca deixar de ser justos”, defendeu a deputada, frisando que a crise foi “exacerbada pela pandemia” e que, por isso, este é um problema em que é preciso “trabalhar com urgência”.

“Não nos basta ter as melhores campanhas de publicidade, não nos basta ter os melhores produtos. É, essencialmente, importante conhecermos muito bem o consumidor, tudo aquilo que ele procura”, afirmou hoje, em declarações aos jornalistas, depois de reunir com a direção da cooperativa agrícola Bom Pastor.

Feito esse levantamento, é necessário “trabalhar em campanhas de escoamento, estudar novos mercados e tudo aquilo que acompanha uma sustentabilidade a nível da agricultura, que tranquilize o produtor e a indústria”, concretizou.

Patrícia Miranda considera que é importante manter a aposta em “produtos que definem a região”, como os produtos de pastagem, “produtos verdes”, que se caracterizam pela “sustentabilidade, diminuição dos custos e pela própria qualidade do leite”.

A deputada lembrou que “a agricultura foi um dos setores que nunca parou durante a pandemia e, ao fim ao cabo, foi também dos setores que mais sofreu com as alterações que a pandemia veio provocar”, por isso defendeu a adoção de “medidas urgentes e rápidas que tranquilizem o produtor e a própria indústria”, ainda que considere prematuro avançar com soluções.

Depois de os deputados do PS/Açores terem reunido também com a fábrica Unileite, a socialista adiantou que a empresa se queixa de dificuldades na “acessibilidade dos mercados, alterações do padrão de consumo e tudo aquilo que leva a essa dificuldade do escoamento”.

Com os consumidores a apostarem “cada vez mais em produtos mais sustentáveis”, a parlamentar considera que “também é esse o futuro da nossa agricultura – uma agricultura mais sustentável”.

Patrícia Miranda referiu ainda que, “nos Açores, todo o leite é de pastagem”.

Há “leite sem essa classificação, mas todo o leite é de pastagem”, sublinha, referindo a importância de melhorar a divulgação do produto.

Comente este artigo
Anterior “Limpa e Aduba” vai apoiar 15 mil hectares em 2021
Próximo Parques fotovoltaicos geram “perda significativa de área florestal”

Artigos relacionados

Dossiers

Campanha «má» obriga citricultores a repensar a comercialização

[Fonte: Sul informação] Fileira dos citrinos fez um balanço da campanha deste ano, em Loulé

Os citricultores do Algarve estão a ter «uma campanha má» em 2019, […]

Últimas

Von der Leyen exclui cortes na coesão. “É bom investir nas empresas saudáveis em Portugal”

Em entrevista à SIC, a presidente da Comissão Europeia explicou que Bruxelas poderá emitir dívida nos mercados para financiar investimento na […]

Últimas

O que os cogumelos Shiitake podem fazer contra as bactérias

“A resistência bacteriana é um problema de saúde pública e por esse motivo iniciámos este estudo que demonstra que os cogumelos shiitake ajudam a combater as bactérias mais resistentes”,concretizou a investigadora da UTAD. […]