Carne Angus Pingo Doce é a primeira em Portugal certificada em bem estar animal e produção livre de antibióticos

Carne Angus Pingo Doce é a primeira em Portugal certificada em bem estar animal e produção livre de antibióticos

A carne nacional Angus Pingo Doce é a primeira em Portugal a receber a certificação em Bem- Estar animal segundo o protocolo Welfair TM com o selo AENOR.

A carne Angus do Pingo Doce, que conquistou o reconhecimento e certificação em bem-estar animal, tem origem nas explorações da Best Farmer (empresa do Grupo Jerónimo Martins), localizadas no Cartaxo e em Manhente, bem como em produtores nacionais que colaboram directamente com a Best Farmer.

A atribuição da certificação reflete o respeito com que os animais são tratados e está assente em quatro aspectos fundamentais:

  • Boa alimentação de qualidade e equilibrada: alimentação à base de silagem de milho nacional e de subprodutos da industria alimentar local (tais como tomate, cenoura, batata doce e dreche de cervejaria). Desta forma, além de se promover uma alimentação adequada, estimula-se uma economia circular bem como a redução do consumo de água pelos animais;
    • Boas instalações: espaço adequado, com camas sempre secas e confortáveis, com controlo de temperatura para evitar stress térmico. Cada parque conta ainda com escovas de massagem que promovem uma boa circulação sanguínea e mantêm os animais limpos conduzindo assim ao relaxamento e o enriquecimento ambiental;
    • Saúde animal: animais acompanhados diariamente por uma equipa de médicos veterinários, que recorre às mais recentes técnicas de maneio e prevenção de doença, no sentido de reduzir o stress e promover saúde;
    • Expressão dos comportamentos naturais dos animais: espaço adequado e pensado para a manifestação do natural comportamento animal.

“Para o Pingo Doce, esta certificação é mais um passo no compromisso com a sustentabilidade e com a qualidade. Assim, os nossos clientes sabem que, quando compram Angus Pingo Doce, estão a adquirir um produto de elevada qualidade, criado com o máximo respeito pelos animais e pelo meio ambiente”, afirma Maria João Coelho, directora de marketing do Pingo Doce.

Toda a carne da raça Angus do Pingo Doce nasce em Portugal e é criada por 200 dos melhores produtores portugueses, que trabalham em estreita parceria com a insígnia. Um projecto inovador e pioneiro, estabelecido há cerca de dez anos, que permitiu desenvolver uma raça que até à data não se criava em Portugal.

Após obter a certificação em Bem-Estar Animal, a carne nacional Angus Pingo Doce recebeu agora a certificação pioneira em produção livre de antibióticos, atribuída pela AENOR.  

As condições ideais em que os animais são criados – ao nível da alimentação, instalações e procedimentos – proporcionam um crescimento saudável dos animais, sem que seja necessária a utilização de antibióticos.

Para esta certificação, contribuíram diversos factores que estão na base das boas práticas de produção animal, começando, desde logo, pela formação de toda a equipa; pela melhoria das condições de conforto e Bem-Estar dos animais; pela alimentação de qualidade e adequada a cada fase de crescimento; e pela presença constante de uma equipa de médicos veterinários que supervisionam o estado de saúde dos animais.

A carne Angus do Pingo Doce, que conquistou agora mais esta certificação,  tem origem nas explorações da Best Farmer (empresa do Grupo Jerónimo Martins), localizadas no Cartaxo, em Manhente e em Monte Trigo.

“Esta certificação é mais um passo no compromisso do Pingo Doce com o Bem-Estar Animal e com as práticas de produção sustentáveis, sendo, mais uma vez, a cadeia pioneira a oferecer ao consumidor um produto inovador que promove o máximo respeito pelos animais” afirma Maria João Coelho, directora de marketing do Pingo Doce.

Para que seja facilmente reconhecida pelos consumidores, a carne Angus Pingo Doce passará a ostentar um selo com a respectiva certificação

Comente este artigo
Anterior AgriBusiness 2021: International Business Meeting - 12 a 16 de julho
Próximo Uma nova estratégia florestal europeia está a caminho

Artigos relacionados

Comunicados

Crédito Agrícola apoia modernização da produção e internacionalização do sector agrícola

[Fonte: Crédito Agrícola]
Lisboa, 28 de Janeiro de 2019 – Com o objectivo de reforçar o seu apoio ao sector primário, […]

Comunicados

Agricultura: Lançamento de um «Dia Biológico da UE» anual

O Parlamento Europeu, o Conselho e a Comissão celebram hoje o lançamento de um «Dia Biológico da UE» anual. As três instituições assinaram uma declaração conjunta que […]

Últimas

Capoulas Santos: reposto efectivo de ovelhas perdido nos incêndios

O ministro da Agricultura, Florestas e Desenvolvimento Rural, Luís Capoulas Santos, entregou hoje, 17 de Julho, simbolicamente, a última de 500 ovelhas Bordaleiras da Serra da Estrela, […]