​Uma campanha pelos ares: com a época de incêndios à porta, Rangel sobrevoou área ardida em 2017

​Uma campanha pelos ares: com a época de incêndios à porta, Rangel sobrevoou área ardida em 2017

[Fonte: Rádio Renascença]

Paulo Rangel passou o dia em visita às áreas afectadas pelos incêndios de 2017. Apertadas como são as agendas de campanha, percorrer tudo por terra num dia só era pedir demais, a campanha optou por ver do céu o que o fogo destruíu.

Na companhia de Xavier Viegas, diretor do Centro de Estudos sobre Incêndios Florestais, o cabeça de lista do PSD sobrevoou as zonas de Pedrógão, Pampilhosa da Serra, Tábua, Lousã e Oliveira do Hospital, e ouviu os alertas do especialista sobre a falta de ordenamento e a rápida regeneração do eucalito que – segundo Xavier Viegas – pode dar origem a novos grandes incêndios dentro de dois ou três anos, mesmo nas áreas que arderam em 2017.

Alertas que Paulo Rangel aproveitou para criticar o governo, que nas vésperas da época de incêndios, voltou a fazer mudanças na estrutura da Proteção Civil.

Faz “lembrar o que aconteceu em 2017, com várias mudanças de chefias meses antes do verão”, disse o candidato, acrescentando que espera que tudo corra bem, apesar das várias preocupações suscitadas pela falta de prevenção.

Outro exemplo foi o SIRESP, que Rangel considera um exemplo de total incompetência e incapacidade de previsão: “os portugueses não querem saber se o SIRESP é público ou é privado, querem é que preste um bom serviço aos cidadãos”. Mais importante, para o candidato, é que o governo tenha demorado dois anos para tomar uma decisão: “chegámos a 14 de Maio de 2019 e estamos como estávamos em outubro de 2017”, acusou.

O IP3, a sinistralidade e um candidato com os dossiers na ponta da língua

O PSD quis mostrar mais um exemplo de obra por fazer, não poupando oportunidades para atacar o adversário Pedro Marques, ex-ministro do Planeamento e Infraestruturas.

Para mostrar os bastidores, desceu do IP3 ao nó da Espinheira, onde parte da estrutura rodoviária apresenta danos visíveis apenas deste ângulo: parece, aos olhos da repórter leiga em construção e obras públicas, que está em risco de queda uma parte do tabuleiro. Os militantes da concelhia do PSD explicaram que é assim há mais de 3 anos, e que lá em cima esta parte lateral está interdita à circulação, mas as queixas sobre a falta de uma nova ligação entre Coimbra e Viseu têm muitos mais anos.

Paulo Rangel não pára nem um segundo para responder à pergunta de um jornalista sobre essa promessa adiada de vários governos: “Claro que sim, mas se quer factos, falamos de factos”.

E dispara, sem pestanejar, os números que demostram um aumento da sinistralidade rodovária. Em 2016 morreram 445 pessoas nas estradas portuguesas, em 2017 foram 510, em 2018 foram 513 e “este ano já vamos com mais 9 do que no ano passado à data de 8 de Maio”, conclui sem hesitações, apesar da precisão dos números.

Paulo Rangel passou o dia acompanhado por Álvaro Amaro, número 5 da lista do PSD às europeias, e autarca da Guarda, e Lídia Pereira, segunda da lista e presidente do Yepp, a organização da juventude do PPE – PArtido Popular Europeu.

Na caravana está apenas uma pessoa da direção nacional do PSD, Maló de Abreu, vice-presidente do partido, e muito próximo de Rui Rio.

Comente este artigo

O artigo ​Uma campanha pelos ares: com a época de incêndios à porta, Rangel sobrevoou área ardida em 2017 foi publicado originalmente em Rádio Renascença

Anterior Prolongamento da proibição de queimadas e de queimas de sobrantes de exploração
Próximo Governo prolonga proibição de queimadas em dez distritos até 16 de maio

Artigos relacionados

Últimas

Patrícia Duarte, Presidente da Associação Portuguesa de Kiwicultores

[Fonte: Voz do Campo]

O kiwi ainda não entrou completamente nos lares portugueses
A Associação Portuguesa de Kiwicultores foi fundada há 15 anos e atualmente é a plataforma de encontro entre os diversos interesses da fileira. Os seus objetivos passam por procurar respostas fundamentadas que possam ser implementadas pelos produtores, […]

Últimas

Bruxelas lança programa de empréstimos para jovens agricultores

[Fonte: Público]

A Comissão Europeia e o Banco Europeu de Investimento (BEI) lançaram esta segunda-feira um programa de empréstimos para jovens agricultores europeus, com um orçamento global de mil milhões de euros e condições mais favoráveis do que as do mercado. […]

Últimas

Agricultura fija en 36,87 euros/animal la ayuda asociada para el caprino y ovino para la campaña 2017

El Ministerio de Agricultura y Pesca, Alimentación y Medio Ambiente (Mapama), a través del Fondo Español de Garantía Agraria (FEGA) ha publicado que el importe unitario provisional de la ayuda asociada para el caprino y ovino para la campaña 2017 asciende a 36,875393 ?/animal.
El número de cabezas de caprino y ovino que cumplen de manera provisional los requisitos establecidos para percibir la ayuda ascienden a 817.754, […]