Intervenção no Castelo de Monforte em Chaves arranca no segundo semestre de 2019

Intervenção no Castelo de Monforte em Chaves arranca no segundo semestre de 2019

A Direção Regional de Cultura do Norte (DRCN) disse esta sexta-feira que a intervenção no Castelo de Monforte, em Chaves, vai arrancar no segundo semestre deste ano e conta com um orçamento de cerca de 200 mil euros.

A intervenção está inserida na Operação Castelos a Norte, que se encontra em curso até 2020, fruto de uma reprogramação entretanto efetuada junto da Comissão de Coordenação e Desenvolvimento Regional do Norte (CCDR-N).

O esclarecimento da DRCN surge depois da deputada do PSD eleita pelo distrito de Vila Real, Manuela Tender, ter alertado para os “sucessivos adiamentos da intervenção” prevista no Castelo de Monforte e se ter mostrado preocupada “com o abandono em que se encontra” aquele monumento nacional, classificado em 1950.

A parlamentar apelou a “uma intervenção urgente que trave a degradação” do castelo que se localiza na freguesia de Águas Frias.

De acordo com a fonte da DRCN, o projeto de requalificação do Castelo de Monforte “prevê realizar uma limpeza da vegetação que impede o acesso ao interior da antiga vila amuralhada e, consequentemente, a visitação de toda a extensa área do antigo povoado”.

A limpeza da vegetação também incidirá na envolvente imediata do castelo por forma a dignificar a imagem do monumento.

A DRCN adiantou que o projeto “privilegiará a reconstrução de alguns trechos da muralha, seja na praça de armas, seja na cerca da vila amuralhada, na zona contígua à alcáçova, assim como trabalhos de conservação na torre de menagem”.

Na plataforma subjacente ao castelo será construído um “núcleo de acolhimento aos visitantes e proceder-se-á a uma intervenção de arranjos exteriores do monumento, face a algumas transformações realizadas em data recente e que descaracterizaram o enquadramento próximo do Castelo de Monforte”.

A intervenção, segundo a DRCN, vai iniciar-se no segundo semestre deste ano e tem um “orçamento que ascende aos 200 mil euros”.

A Operação Castelos a Norte visa intervir nos castelos raianos da Região Norte: Montalegre, Monforte de Rio Livre (Chaves), Outeiro (Bragança), Mogadouro e Miranda do Douro.

Através de um projeto de revitalização, incidindo sobretudo em ações de recuperação, divulgação e promoção turístico-cultural, pretende-se, segundo a Direção Regional, “potenciar o usufruto dos monumentos pela população local e pelos turistas, nacionais e estrangeiros”.

Esta operação tem como beneficiários a Direção Regional de Cultura do Norte e os municípios de Miranda do Douro e Montalegre.

O artigo foi publicado originalmente em ECO - fundos comunitários.

Comente este artigo
Anterior «O Impacto Das Políticas Europeias No Mundo Rural Português» - Debate Com Os Candidatos ao Parlamento Europeu, 3 de abril, 16H0
Próximo Projetos ligados ao mar com investimento de 2,8 milhões de euros na região Oeste

Artigos relacionados

Últimas

Hands-on Course – Combining Proteomics and Genomics towards the Proteogenomics concept- 26 a 29 de Setembro 2017 – Évora

O Instituto de Ciências Agrárias e Ambientais Mediterrânicas anuncia a abertura de inscrições para o curso – Hands-on Course – Combining Proteomics and Genomics towards the Proteogenomics concept – […]

Nacional

Regime especial para trabalhadores agrícolas de Odemira

[Fonte: Diário do Alentejo] O Governo estabeleceu um regime especial e transitório para permitir melhores condições de vida e habitação a trabalhadores agrícolas temporários e assegurar mão-de-obra no Aproveitamento Hidroagrícola do Mira (AHM), […]

Internacional

Offspring of gene-edited, hornless dairy bull born healthy, study confirms

[Fonte: GLP] For the past two years, researchers at the University of California, Davis, have been studying six offspring of a dairy bull, […]