Caça vai ser interditada na ilha de São Miguel devido a doença no coelho bravo

Caça vai ser interditada na ilha de São Miguel devido a doença no coelho bravo

A caça vai ser interditada a partir de sábado na ilha de São Miguel devido “ao surgimento de um novo foco do surto da Doença Hemorrágica Viral (DHV) no coelho bravo”, anunciou hoje o Governo dos Açores.

“Esta decisão resultou da posição unânime recolhida durante a reunião do Conselho Cinegético de São Miguel, realizada na quarta-feira”, adianta uma nota enviada às redações pela Secretaria Regional da Agricultura e Florestas.

A reunião contou com representantes das associações Agrícola de S. Miguel, de Jovens Agricultores, de Caçadores de Vila Franca do Campo, Associação Micaelense de Caça, Associação Portuguesa de Falcoaria e da Sociedade Portuguesa para o Estudo das Aves (SPEA).

A decisão da secretaria, através da Direção Regional dos Recursos Florestais, será publicada sexta-feira em Jornal Oficial, prevendo-se também a proibição da libertação de cães de caça em qualquer tipo de terrenos onde exista ou ocorra fauna cinegética.

Além da interdição, na reunião do Conselho Cinegético de São Miguel ficou ainda acordado fazer um novo ponto de situação em setembro, logo que existam dados da monitorização em curso e o surto seja dado como extinto.

Nessa altura, proceder-se-á à revisão do calendário venatório, no sentido de ajustar a pressão de caça de acordo com os resultados da monitorização,

Apesar desta interdição da caça em toda a ilha de São Miguel “continua a ser possível recorrer a correções de densidade sempre que a abundância das espécies cinegéticas cause prejuízo nas culturas agrícolas”, explica ainda o executivo regional.

A nova variante da DHV chegou aos Açores em finais de 2014, sendo o vírus transmitido por contacto direto entre coelhos doentes, contacto com material orgânico proveniente de coelhos doentes ou através de vetores vivos e de objetos contaminados.

Os caçadores e os cães de caça funcionar como um meio de disseminação da doença.

Comente este artigo
Anterior CDS-PP acusa Governo de abandonar agricultores afetados pelas intempéries de maio
Próximo Água do Alqueva vai ser racionada

Artigos relacionados

Nacional

Oikos anuncia nova versão do SmartFarmer e projecto para mulheres agricultores

A Oikos vai lançar em breve uma nova versão da sua plataforma on-line SmartFarmer, um mercado virtual de produtos agrícolas nacionais. […]

Nacional

Reativação do incêndio em Castelo Branco foi dominada às 17h45

A reativação do incêndio que deflagrou na quarta-feira à tarde perto de Sobral do Campo, concelho de Castelo Branco, foi dada como dominada hoje às 17h43, […]

Últimas

Com Pedrógão esfumou-se o investimento na floresta. Só resta o medo

Medo. A floresta em Portugal encheu-se de medo. Medo de investir no que pode acabar em cinzas, medo de ter árvores a rondar casas, […]