Legislação europeia dificulta proteção biológica das culturas

Legislação europeia dificulta proteção biológica das culturas

Investigadores da Universidade de Wageningen, na Holanda concluíram, num estudo publicado na revista científica “BioControl”, que a legislação da UE torna desnecessariamente caro, pesado e demorado o registo de soluções biológicas para controlo de pragas.

Para registar um produto são necessários em média 5 anos.

«Comprovámos cientificamente que os agentes de controlo biológico devem ser avaliados de forma diferente dos produtos fitofarmacêuticos. O que não está a acontecer. Para que sejam dados passos concretos rumo à agricultura sustentável, os agentes de controlo biológico devem ser autorizados mais rapidamente e com menores custos», defende Jürgen Köhl, autor principal do estudo.

O artigo foi publicado originalmente em Voz do Campo.

Comente este artigo
Anterior Pagos de la PAC: Denuncian que ni se abonó todo lo de octubre ni se ha pagado lo prometido para diciembre
Próximo CICYTEX lança guia de boas práticas para a “dehesa” e o montado

Artigos relacionados

Notícias fitofarmacêuticos

Avisos Agrícolas 30/01/2020: Fruteiras, Vinha, Olival, Citrinos e Pessegueiro

O Serviço de Avisos Agrícolas é um serviço nacional do Ministério da Agricultura que tem por finalidade emitir avisos agrícolas. […]

Últimas

Concelho de Santiago do Cacém recebe novo investimento na área da suinicultura


A Câmara Municipal de Santiago do Cacém considera extremamente positivo o investimento realizado pela empresa AIM CIALA – Centro de Inseminação Artificial do Litoral Alentejano – […]

Nacional

Agricultura vertical, contentores estufa e o futuro. Como a Jungle Greens quer salvar o mundo com vegetais e ervas aromáticas

No parque de estacionamento do Jumbo de Sintra ouve-se uma criança pequena a falar com o pai: “põe-me ao colo que quero ver lá […]