Covid-19: Venda de vinho para a restauração com quebra de 50% até setembro – Associação

Covid-19: Venda de vinho para a restauração com quebra de 50% até setembro – Associação

As vendas de vinho para a restauração sofreram uma quebra de 50% até setembro de 2020 devido à pandemia de covid-19, indicou a ACIBEV, notando que a situação não deverá melhorar nos próximos meses.

“As vendas para a restauração sofreram uma quebra de perto de 50% tanto em volume como em valor e não é expectável que a situação melhore nos próximos meses, pois a situação epidemiológica é grave, a confiança dos consumidores está em níveis muito baixos e não iremos contar com o fluxo de turismo que tivemos nos anos anteriores”, apontou, em resposta à Lusa, a Associação de Vinhos e Espirituosas de Portugal (ACIBEV).

Só nos primeiros nove meses do ano anterior, o mercado nacional de vinho, que inclui a distribuição e a restauração, sofreu uma quebra de 10,9% em volume e 24,2% em valor, face a 2019, tendo o preço médio diminuído 14,9%.

De acordo com os dados do Instituto Nacional de Estatística (INE) e do Instituto da Vinha e do Vinho (IVV), as exportações de vinho nacional registaram um aumento de 3,4% em volume e 2,3% em valor em julho e agosto, em comparação com o mesmo período de 2019.

No primeiro semestre de 2020, estas exportações tinham registado descidas de 1,2% em volume e 0,9% em valor, sobretudo impactadas pelos resultados do segundo trimestre (retrocessos de 4,9% em volume e 2,9% em valor”, quando a pandemia de covid-19 “começou a afetar drasticamente os países da Europa”, explicou a ACIBEV.

Conforme sublinhou a associação, verifica-se “uma grande volatilidade nos mercados internacionais”, com “quebras acentuadas” nas exportações portugueses para a China, Angola, Alemanha e França.

“O setor vitivinícola é um grande impulsionador da economia nacional e um instrumento relevante para a manutenção das comunidades rurais e ordenamento do território, por providenciar emprego, oportunidades de investimento, estabilidade económica e sustentabilidade ambiental”, vincou a ACIBEV.

Comente este artigo
Anterior Cotações – Ovinos e Caprinos – Informação Semanal – 14 a 20 Dezembro 2020
Próximo CEBAL inicia novo projeto de promoção do conhecimento e competitividade do amendoal no Alentejo

Artigos relacionados

Últimas

Ensaios de variedades: A produtividade do milho no Baixo Mondego

A Escola Profissional e de Desenvolvimento Rural do Baixo Mondego, em 2020, levou a cabo a instalação de um campo de ensaios de variedades de milho dos ciclos FAO 300, 400, 500 e 600 na parcela do Sabico, junto a […]

Últimas

Incêndios: Doze concelhos de quatro distritos em risco máximo

Doze concelhos dos distritos de Viseu, Braga, Bragança e Coimbra apresentam hoje um risco máximo de incêndio, segundo o Instituto Português do Mar […]

Últimas

Vindimas revelam produção inferior ao inicialmente previsto pelo INE

As vindimas prolongaram-se ao longo do mês de Setembro, havendo regiões onde ainda não terminaram, explica o Instituto Nacional de Estatística (INE) no seu Boletim Mensal da Agricultura e Pescas – […]