CEBAL inicia novo projeto de promoção do conhecimento e competitividade do amendoal no Alentejo

CEBAL inicia novo projeto de promoção do conhecimento e competitividade do amendoal no Alentejo

O Centro de Biotecnologia Agrícola e Agroalimentar do Alentejo (CEBAL) iniciou um novo projeto intitulado “Inov-Amendo-AL: Microenxertia in vitro de amendoeiras selecionadas para a promoção do amendoal no Alentejo”.

Este é um projeto com um financiamento superior a 125 mil euros, sendo que o projeto procura potenciar a competitividade do setor dos frutos secos no Alentejo, nomeadamente da amêndoa, através da introdução no mercado de plantas de amendoeira sadias e de valor acrescentado, obtidas com o auxílio de ferramentas biotecnológicas inovadoras.

Segundo informa a CEBAL, é de interesse promover a divulgação do conhecimento e da potencialidade da técnica de multiplicação – microenxertia in vitro – de amendoeiras; auxiliar os produtores na seleção de material vegetal mais adequado; potenciar o património genético português, com promoção da diferenciação do produto; e garantir material vegetal em bom estado fitossanitário na região, proporcionando aos atores da fileira a renovação de pomares mais produtivos e sadios com plantas de valor agronómico acrescentado.

Iniciado em outubro de 2020 e com término previsto para Setembro 2022, a estratégia de transferência de conhecimento e tecnologia do projeto está dividida nas seguintes vertentes:

i) ações de disseminação e divulgação junto do tecido produtivo e empresarial;
ii) validação datecnologia de micropropagação e da microenxertia in vitro;
iii) validação do estado fitossanitáriodas plantas, com despiste da presença de patogénios por técnicas moleculares;
iv) divulgação e demonstração dos resultados do projeto junto dos agentes económicos da região e da comunidade científica.

Este é um projeto que segue a estratégia do CEBAL na aposta do conhecimento científico junto da comunidade, propondo soluções biotecnológicas que permitem ao tecido produtivo e empresarial potenciar os recursos vegetais mais adaptados à região.

O projeto “Inov-Amendo-AL: Microenxertia in vitro de amendoeiras de valor acrescentado para a promoção do amendoal no Alentejo” (ALT20-03-0246-FEDER-000068) é cofinanciado pelo Fundo Europeu de Desenvolvimento Regional (FEDER) através do Programa Operacional Regional do Alentejo – Alentejo 2020, no âmbito do Sistema de Apoio a Ações Coletivas –Transferência do Conhecimento Científico e Tecnológico – Domínio da Competitividade e Internacionalização.

O artigo foi publicado originalmente em Rádio Campanário.

Comente este artigo
Anterior Covid-19: Venda de vinho para a restauração com quebra de 50% até setembro - Associação
Próximo Incêndios: Oleiros e Vila de Rei iniciam fase de expansão do cadastro simplificado

Artigos relacionados

Dossiers

Plano de Recuperação e Resiliência tem 270 ME para paisagem da floresta – Governo

O Programa de Recuperação e Resiliência para a política da paisagem da floresta em Portugal disponibiliza 270 milhões de euros que vão ser aplicados nos seus quatro eixos, anunciou hoje o […]

Últimas

FENAREG quer mitigação dos efeitos da seca na agricultura

O artigo foi publicado originalmente em Vida Económica. […]

Utilização sustentável

União Europeia: «poucos» progressos no domínio do uso sustentável dos pesticidas

Um relatório recente do Tribunal de Contas Europeu (TCE) indica que «foram poucos os progressos alcançados na medição e redução dos riscos da utilização de pesticidas na UE [União Europeia]». […]