Boas práticas para mitigação dos efeitos das alterações climáticas identificadas em projeto desenvolvido por diversas entidades do sector agro-florestal

Boas práticas para mitigação dos efeitos das alterações climáticas identificadas em projeto desenvolvido por diversas entidades do sector agro-florestal

As alterações climáticas constituem, reconhecidamente, uma realidade e uma prioridade nacional, face aos seus impactos presentes e futuros sobre os ecossistemas, a economia e a sociedade.

Os estudos efectuados indicam que Portugal e a região mediterrânica se encontram entre as zonas europeias com maior vulnerabilidade aos impactes destas alterações.

Ciente desta realidade a ANPROMIS – Associação Nacional de Produtores de Milho e Sorgo, o COTR – Centro Operativo e de Tecnologia de Regadio, a FNOP – Federação Nacional das Organizações de Produtores de Frutas e Hortícolas, a UNAC – União da Floresta Mediterrânica e o ISA – Instituto Superior de Agronomia, Universidade de Lisboa, implementaram o projecto RIAAC-AGRI “Rede de Impacto e adaptação às alterações climáticas nos sector agrícola, agro-alimentar e florestal”.

No âmbito desta iniciativa foram elaboradas 4 brochuras técnicas que pretendem, de forma simplificada, resumir os impactos dos actuais cenários das alterações climáticas nos sectores da Floresta, do Milho, do Tomate para indústria e do Regadio, identificando algumas recomendações que minimizem os seus efeitos nas explorações agrícolas e florestais nacionais.

Face ao interesse destas publicações, as mesmas estão já disponibilizadas em formato digital, no site da Rede Rural Nacional, e serão brevemente apresentadas em suporte de papel, num evento que terá lugar logo que possível.

Acresce recordar que no âmbito desta candidatura, foram também elaborados dois manuais nos quais constam os projectos de investigação implementados no nosso país, no âmbito das alterações climáticas para os sectores da floresta, do milho, do tomate para a indústria e do regadio.

Brochuras técnicas:

Comente este artigo
Anterior Ministério da Agricultura e Governo devem atribuir ajudas excepcionais aos Agricultores afectados, inclusive para salvar as suas Explorações
Próximo Live-stream: Eficiência Hídrica na Agricultura - Diagnóstico, Estratégias e Gestão

Artigos relacionados

Comunicados

ARBCAS – Sistemas de mediação em canais

Realizou-se no passado dia 11 de outubro de 2019 uma jornada técnica, promovida pela Associação de Regantes e Beneficiários de Campilhas e Alto Sado […]

Dossiers

PINUSPRESS 47

A edição mais recente do PINUSPRESS, o boletim em papel do Centro PINUS,  já se encontra disponível. […]

Notícias apoios

Portugal em Direto: Entrevista a Luís Mira, secretário-geral da CAP

A CAP considera que a resposta do Governo às intempéries que ocorreram na região Centro e que afetaram sobretudo as produções de cereja e […]