Ajuda da UE aos produtores de leite após o embargo russo à importação não foi suficientemente bem orientada

Ajuda da UE aos produtores de leite após o embargo russo à importação não foi suficientemente bem orientada

A União Europeia tomou medidas abrangentes para apoiar os agricultores durante as perturbações no mercado do leite no período de 2014-2016. A sua reação ao embargo imposto pela Rússia ao leite e aos produtos lácteos foi rápida. No entanto, de acordo com um relatório do Tribunal de Contas Europeu (TCE), as necessidades reais dos produtores não foram adequadamente avaliadas e os auxílios concedidos não foram suficientemente orientados. A UE esforçou-se por aplicar a experiência adquirida durante as perturbações de 2014 a 2016, a fim de melhorar a sua gestão de eventuais crises futuras no setor do leite.

No início da década de 2010, os agricultores de alguns Estados-Membros da UE aumentaram significativamente a produção de leite, tirando partido dos preços mais elevados, que atingiram o seu valor máximo no início de 2014. Em agosto de 2014, a Federação da Rússia impôs um embargo ao leite e aos produtos lácteos dos Estados-Membros, em resposta às sanções da UE devido à situação na Ucrânia, numa altura em que as exportações da UE para a China estavam a abrandar. Todos estes fatores conduziram a um desequilíbrio entre a oferta e a procura em todo o setor até meados de 2016. A política agrícola comum (PAC) da UE dispõe de mecanismos que atenuam estas situações, incluindo pagamentos diretos para estabilizar o rendimento dos agricultores, medidas de intervenção no mercado, conhecidas como “rede de segurança”, para apoiar os preços eliminando temporariamente os excedentes, e medidas excecionais para fazer face às perturbações no mercado.

A produção de leite representa uma parte significativa do setor agrícola da UE e a Comissão Europeia, juntamente com os Estados-Membros, tomou de facto determinadas medidas para apoiar o rendimento dos agricultores durante as perturbações no mercado registadas no período de 2014-2016“, afirmou Nikolaos Milionis, Membro do Tribunal de Contas Europeu responsável pelo relatório. “Porém, no futuro, tem de estar mais bem preparada para dar uma resposta mais eficiente a eventuais crises no setor.”

O artigo foi publicado originalmente em Tribunal de Contas.

Relatório: Apoio excecional aos produtores de leite da UE entre 2014 e 2016 – A eficiência futura pode ser melhorada

Comente este artigo
Anterior Avisos Agrícolas 23/06/2021: Vinha, Mirtilos, Pomóideas, Nogueira, Batateira e Tomateiro
Próximo Governo dos Açores pretende incentivar produção biológica em todas as ilhas da Região

Artigos relacionados

Nacional

Japão apoia Cabo Verde com 1,9 ME para compra de arroz e trigo

O Governo japonês vai apoiar Cabo Verde com 1,9 milhões de euros para a aquisição de arroz e trigo, permitindo estabilizar os preços daqueles produtos em plena crise sanitária e económica, […]

Notícias meteorologia

Granizo destrói culturas a 100% na região de Lamego

O presidente da Câmara de Lamego disse hoje que “há culturas perdidas a 100%” no concelho, com prejuízo de “enorme gravidade”, que está a ser avaliado, devido à queda de granizo deste […]

Últimas

Curso online: Comunicar agricultura e florestal – 4ª edição

A 4.ª edição do curso “Comunicar agricultura e floresta” realiza-se online, dos dias 29 de junho a 1 de julho, com uma duração de 5 horas. […]