Ajuda da UE aos produtores de leite após o embargo russo à importação não foi suficientemente bem orientada

Ajuda da UE aos produtores de leite após o embargo russo à importação não foi suficientemente bem orientada

A União Europeia tomou medidas abrangentes para apoiar os agricultores durante as perturbações no mercado do leite no período de 2014-2016. A sua reação ao embargo imposto pela Rússia ao leite e aos produtos lácteos foi rápida. No entanto, de acordo com um relatório do Tribunal de Contas Europeu (TCE), as necessidades reais dos produtores não foram adequadamente avaliadas e os auxílios concedidos não foram suficientemente orientados. A UE esforçou-se por aplicar a experiência adquirida durante as perturbações de 2014 a 2016, a fim de melhorar a sua gestão de eventuais crises futuras no setor do leite.

No início da década de 2010, os agricultores de alguns Estados-Membros da UE aumentaram significativamente a produção de leite, tirando partido dos preços mais elevados, que atingiram o seu valor máximo no início de 2014. Em agosto de 2014, a Federação da Rússia impôs um embargo ao leite e aos produtos lácteos dos Estados-Membros, em resposta às sanções da UE devido à situação na Ucrânia, numa altura em que as exportações da UE para a China estavam a abrandar. Todos estes fatores conduziram a um desequilíbrio entre a oferta e a procura em todo o setor até meados de 2016. A política agrícola comum (PAC) da UE dispõe de mecanismos que atenuam estas situações, incluindo pagamentos diretos para estabilizar o rendimento dos agricultores, medidas de intervenção no mercado, conhecidas como “rede de segurança”, para apoiar os preços eliminando temporariamente os excedentes, e medidas excecionais para fazer face às perturbações no mercado.

A produção de leite representa uma parte significativa do setor agrícola da UE e a Comissão Europeia, juntamente com os Estados-Membros, tomou de facto determinadas medidas para apoiar o rendimento dos agricultores durante as perturbações no mercado registadas no período de 2014-2016“, afirmou Nikolaos Milionis, Membro do Tribunal de Contas Europeu responsável pelo relatório. “Porém, no futuro, tem de estar mais bem preparada para dar uma resposta mais eficiente a eventuais crises no setor.”

O artigo foi publicado originalmente em Tribunal de Contas.

Relatório: Apoio excecional aos produtores de leite da UE entre 2014 e 2016 – A eficiência futura pode ser melhorada

Comente este artigo
Anterior Avisos Agrícolas 23/06/2021: Vinha, Mirtilos, Pomóideas, Nogueira, Batateira e Tomateiro
Próximo Governo dos Açores pretende incentivar produção biológica em todas as ilhas da Região

Artigos relacionados

Nacional
Últimas

Greve dos motoristas: Ministro da Defesa garante que ação de militares não afetou “missões habituais”

“Foi possível fazer este esforço sem pôr em causa as missões habituais, quer seja de defesa de soberania, quer sejam outras, […]

Últimas

37ª Ovibeja aproxima-se dos seus públicos com inovação e sentido de pertença

A Ovibeja é conhecida por criar momentos inesquecíveis e este ano não vai ser diferente. A decorrer em ambiente digital, a 22 e 23 de Abril, vai ter expositores, competições, música […]