Projeto SmartFarmer Beira Interior apoia comercialização de produtos locais

Projeto SmartFarmer Beira Interior apoia comercialização de produtos locais

O projeto tem como missão apoiar os pequenos e médios agricultores nacionais na comercialização dos seus produtos.

O projeto SmartFarmer Beira Interior, que pretende apoiar a comercialização de produtos locais, reapareceu no contexto da pandemia causada pelo Covid-19 num formato “mais apelativo e simplificado”, foi anunciado esta quinta-feira.

O projeto é liderado pela Organização Não Governamental para o Desenvolvimento OIKOS e tem na Beira Interior a parceria da Associação Empresarial do Sabugal (ADES) e da Associação de Agricultores para a Produção Integrada de Frutos de Montanha Guarda (APPIM).

“Este projeto, que cada vez faz mais sentido sobretudo com a crise que atravessamos, reapareceu num formato muito mais apelativo e simplificado, com funcionalidades mais simples, tendo como objetivo principal apoiar agricultores e produtores locais no escoamento dos seus produtos, o que trará, com certeza, vantagens para os produtores e consumidores locais”, referem os promotores da iniciativa em comunicado enviado esta quinta-feira à agência Lusa.

No âmbito do SmartFarmer Beira Interior, a Buyin.pt e a Oikos – Cooperação e Desenvolvimento, “estabelecem uma parceria para apoiar os pequenos e médios agricultores nacionais na comercialização dos seus produtos“.

“Nesta parceria, a Oikos, através do SmartFarmer, desenvolve um negócio social que tem vindo a ser incubado nesta organização, gere uma ‘flagship store’ na plataforma de comércio eletrónico MercaChefe.pt, onde coloca à venda os produtos da pequena agricultura nacional e apoia os agricultores na digitalização dos seus produtos, na gestão de encomendas, garantindo qualidade e rapidez de entrega, facilitando a rastreabilidade aos consumidores”, é explicado.

O principal objetivo das duas organizações “é aproximar produtores e consumidores através do comércio eletrónico, promovendo o consumo local das famílias e dos consumidores coletivos, nomeadamente Instituições Particulares de Solidariedade Social (IPSS), Misericórdias e Câmaras Municipais, disponibilizando um novo canal de escoamento aos agricultores”.

A MercaChefe.pt “encarrega-se, dentro dos stocks disponíveis, de recolher diretamente os produtos junto dos respetivos produtores e entregar em casa dos clientes num prazo de 48 horas“, acrescenta.

“Através desta parceria com a Oikos conseguimos apoiar os produtores mais pequenos – um passo fundamental para consolidar a nossa política de responsabilidade social”, afirma Ricardo Wallis, CEO da Buyin.pt, citado no comunicado.

Ainda de acordo com a fonte, a parceria que “foi trabalhada ao longo dos últimos meses permanecerá no [período] pós-crise de saúde pública e continuará a ser dinamizada por uma crescente rede de parceiros nos territórios” da Beira Interior.

“Queremos disponibilizar soluções digitais de apoio à comercialização ao maior número de produtores possível para que, com o apoio do SmartFarmer e da nossa rede de parceiros, estes se possam registar e vender a sua produção ‘online’ através de novos canais de escoamento”, refere João Fernandes, presidente do Conselho Diretivo da Oikos, e cofundador do SmartFarmer.

O projeto conta com uma rede de parceiros a nível nacional e o apoio do programa de Parcerias para o Impacto do Portugal Inovação Social, com financiamento do POISE e da Fundação Calouste Gulbenkian.

O artigo foi publicado originalmente em ECO.

Comente este artigo
Anterior Coronavírus e a “epidemia” do comércio online - Pedro Pimentel
Próximo ‘Climate-resilient’ wheat may provide sustainable fiber source, promote gut health

Artigos relacionados

Últimas

Tempestade Atlântica afetará o continente. Risco de cheias na Madeira.

A partir do Sábado dia 17 teremos a descida de latitude de uma perturbação polar vinda do Atlântico norte, esta deverá depois interagir com a circulação subtropical na região entre os Açores […]

Nacional

Governo pede nova forma de calcular o risco de incêndio

Os fundos comunitários vão financiar uma nova Carta Nacional de Perigosidade de Incêndio com 300 mil euros. As candidaturas devem ser entregues até […]

Nacional

Potencial da aplicação de biofertilizantes em maçã

A fruticultura de precisão, baseada em princípios de eficiência e sustentabilidade, vê-se hoje reforçada com a disponibilização no mercado […]