Produtores de azeite avançam com suspensão voluntária de colheita noturna

Produtores de azeite avançam com suspensão voluntária de colheita noturna

Olivum, CAP, CONFAGRI e Casa do Azeite selam acordo para a suspensão voluntária e temporária da colheita noturna mecanizada da azeitona. Associações pretendem aprofundar estudo sobre potencial impacto da colheita noturna para a biodiversidade local. Produtores de azeite português alertam para a importância da colheita noturna, garantindo a competitividade do sector, qualidade do azeite e proteção da avifauna em conjunto.

Olivum, CAP, CONFAGRI e Casa do Azeite selam acordo para a suspensão voluntária e temporária da colheita noturna mecanizada de azeitona com efeitos imediatos. O reconhecimento por parte das associações signatárias da necessidade desta recomendação prende-se com o potencial risco de impacto negativo na avifauna presente no olival.

As quatro associações consideram importante o aprofundamento de um estudo científico que permita conhecer com rigor e de forma detalhada os impactos da colheita noturna, bem como identificar as medidas e recomendações de salvaguarda da avifauna.

“O sector é o principal interessado em garantir a preservação dos ecossistemas locais e a salutar convivência entre agricultura e meio ambiente, uma vez que ambos coexistem de forma indissociável”, salienta Gonçalo Almeida Simões, diretor executivo da Olivum, Associação de Olivicultores do Sul.

Os resultados preliminares do primeiro e único estudo realizado (campanha 2019/2020), que ocorreu nas explorações cedidas voluntariamente pelos olivicultores, indicam uma grande diversidade de aves, confirmando a biodiversidade existente no olival.

Ainda assim, o estudo não permitiu o mapeamento da avifauna nos olivais e territórios envolventes e revelou que os métodos de espantamento básicos utilizados se mostraram ineficazes para afugentar as espécies que escolhem as oliveiras como habitat.

Os signatários deste acordo entendem ser necessário aprofundar tecnologias inovadoras de espantamento das espécies do olival, com o objetivo de conciliar práticas agrícolas com a presença noturna de aves.

A Olivum sublinha a necessidade de extrema ponderação e reflexão sobre o tema sob pena de poder vir a ser colocada em causa a competitividade do azeite português no mercado internacional e a garantia da excelente qualidade do azeite produzido em Portugal, nomeadamente do azeite virgem extra”, afirma o diretor executivo da Olivum.

O sector da produção de azeite tem-se revelado de grande relevância para a economia nacional, nomeadamente através da sua vertente exportadora, resistindo à crise provocada pela Covid-19 sem recurso a despedimentos ou lay-off.

→ Consulte o acordo na íntegra aqui ←

Comente este artigo
Anterior Los precios de la almendra se han desplomado en el último año, salvo los de la ecológica
Próximo Incêndios: Proteção Civil lança aviso à população devido a temperaturas elevadas

Artigos relacionados

Sugeridas

Produção de azeitona para azeite cresce 20% com dificuldades na gestão do bagaço da azeitona

As previsões agrícolas do Instituto Nacional de Estatística (INE), em 30 de Novembro, apontam para um aumento na produção de azeitona para azeite (+20%), […]

Últimas

Indústria do papel quer fazer parte da recuperação verde, investe 100 milhões em sustentabilidade

Altri, DS Smith, Renova e The Navigator Company gerem quase 170 mil hectares de floresta certificada e querem ser “atores fundamentais para […]

Notícias PAC pós 2020

Maria do Céu Albuquerque defende uma PAC mais forte

Maria do Céu Albuquerque participou, hoje, através de videoconferência, no Conselho de Ministros da União Europeia | Agricultura e Pescas, […]