Incêndios: Proteção Civil lança aviso à população devido a temperaturas elevadas

Incêndios: Proteção Civil lança aviso à população devido a temperaturas elevadas

A Autoridade Nacional de Emergência e Proteção Civil (ANEPC) emitiu hoje um aviso à população para o perigo de incêndio rural nas próximas 72 horas, devido às elevadas temperaturas previstas para os próximos dias e à baixa humidade.

Em comunicado divulgado hoje à tarde, a ANEPC refere que, “de acordo com a informação disponibilizada pelo Instituto Português do Mar e da Atmosfera (IPMA), prevê-se um agravamento das condições meteorológicas favoráveis ao incremento do risco de incêndio, devido ao tempo quente e seco”.

A ANEPC destaca que a humidade relativa do ar será inferior a 30% no interior e no Algarve durante a tarde e em geral com fraca recuperação noturna.

Quanto à temperatura máxima, estão previstos valores acima de 30°C na generalidade do território, “podendo rondar os 40°C no interior no domingo e segunda-feira, com possibilidade de ocorrerem noites tropicais no interior e no Algarve a partir de domingo”.

O vento vai predominar de noroeste, por vezes fortes (até 45 km/h) no litoral oeste (com rajadas até 65 km/h apenas hoje) e nas terras altas, com rotação para nordeste durante a noite no interior norte e centro.

As previsões apontam para uma instabilidade atmosférica no interior a partir de sábado, podendo estabelecer-se um quadro de comportamento errático de incêndios, bem como possibilidade de ocorrência de trovoada (seca) no domingo e segunda-feira.

Assim, a ANEPC prevê “que o risco de incêndio se mantenha muito elevado/máximo no interior do país e no Algarve, com maior agravamento a partir de domingo, inclusivamente nas regiões do litoral oeste”, o que poderá originar o “incremento do perigo de incêndio rural para valores muito elevados a máximos, na generalidade do território, determinados pelas condições meteorológicas previstas” e o “aumento das ignições face à atividade humana junto dos espaços rurais”.

Face a estas previsões, é proibido fazer queimadas extensivas sem autorização, fazer queima de amontoados, utilizar fogareiros ou grelhadores em todo o espaço rural, salvo se usados fora de zonas críticas e nos locais devidamente autorizados para o efeito, fumar ou fazer lume nos espaços florestais, lançar balões de mecha acesa e foguetes, usar motorroçadoras (exceto se possuírem fio de nylon), corta-matos e destroçadores nos dias de risco máximo e obrigatório usar dispositivos de retenção de faíscas e de tapa-chamas nos tubos de escape e chaminés das máquinas de combustão interna e externa nos veículos de transporte pesados e  um ou dois extintores de 6 Kg, consoante o peso máximo seja inferior ou superior a 10 toneladas.

ARA // HB

O artigo foi publicado originalmente em Visão.

Comente este artigo
Anterior Produtores de azeite avançam com suspensão voluntária de colheita noturna
Próximo O projeto Rebanhos Mais utiliza o pastoreio para gerir espaços naturais e prevenir incêndios

Artigos relacionados

Últimas

Fundação Galp vai plantar cerca de 110 mil árvores por todo o país até ao final de Novembro

O Movimento Terra de Esperança, promovido pela Fundação Galp em parceria com a ANEFA, vai plantar cerca de 110 mil árvores de Norte a Sul do país até […]

Últimas

Agricultura 4.0: ISQ contribui com soluções para uma agricultura inteligente

Os termos Inteligência Artificial, Big Data, Machine Learning e Internet das coisas estão na ordem do dia em distintos sectores e serviços e um dele é a […]

Últimas

GNR conta com mais de 150 novos guardas florestais a partir desta semana

155 guardas florestais terminaram a sua formação na Escola da Guarda, em Queluz, e iniciam funções na segunda-feira, anuncia MAI. […]