Novo inventário florestal apresentado numa “questão de dias”

Novo inventário florestal apresentado numa “questão de dias”

Inventário é publicado de 10 em 10 anos, mas a Associação do setor considera pouco.

O ministro da Agricultura, Capoulas Santos, diz que a publicação de um novo Inventário Florestal Nacional (IFN) é “uma questão de dias”, admitindo ponderar a sugestão do setor para que o levantamento seja realizado de cinco em cinco anos.

“O Inventário Florestal Nacional acabou de ser concluído”, afirmou Luís Capoulas Santos à agência Lusa, referindo-se ao documento que avalia a abundância e o estado dos recursos florestais nacionais.

O IFN é realizado pelo Instituto da Conservação da Natureza e da Floresta desde 1965, sendo os resultados apresentados, habitualmente, com uma periodicidade aproximada de 10 anos.

O prazo é considerado pela Associação Nacional de Empresas Florestais, Agrícolas e do Ambiente (ANEFA) “muitíssimo longo”, pelo que o seu presidente, Pedro Serra Ramos, defende que “pelo menos de cinco em cinco anos devia ser feito um inventário florestal” em Portugal.

Trata-se de uma “opinião que vem de pessoas que conhecem bem a floresta e que merece ser ponderada”, afirmou o ministro da Agricultura, Florestas e Desenvolvimento Rural, admitindo que “possa ser recomendável que se faça em períodos mais curtos”.

A publicação de um novo inventário nos próximos dias já espelhará uma diminuição temporal entre inventários, dado o anterior ter sido divulgado em 2013.

Capoulas Santos admitiu que a realização dos inventários em períodos mais curtos possa passar a ser prática corrente, dado tratar-se de “um instrumento fundamental para as políticas e para a gestão da floresta”.

De acordo com a página da internet do Instituto da Conservação da Natureza e da Floresta, o primeiro IFN resultou da recolha de dados nos anos de 1965 e 1966.

Posteriormente, o instituto divulgou uma primeira revisão com base em dados recolhidos entre 1968 e 1980, uma segunda revisão referente aos dados de 1980 a 1989, e uma terceira revisão incidindo na década de 1990 a 1999.

O Inventário Florestal Nacional 4 é referido na mesma página como plataforma de acesso aos dados de 1995 a 1998 e o quinto inventário um reflexo do trabalho de campo realizado em 2005 e 2006.

O mais recente documento foi o IFN 6, tendo “por base um processo multitemporal de análise de alteração do uso/ocupação do solo” para os anos de referência de 1995, 2005 e 2010.

Os resultados preliminares foram apresentados em 11 de fevereiro de 2013 e serão agora substituídos pelos novos dados anunciados por Capoulas Santos.

O artigo foi publicado originalmente em Rádio Renascença.

Comente este artigo
Anterior Capoulas Santos compara reforma da floresta ao projecto do Alqueva
Próximo Matança dos pintos vai continuar na Alemanha, decidiu tribunal

Artigos relacionados

Nacional

Nuno Russo: Setor apícola está em forte dinâmica de crescimento e profissionalização

[Fonte: Governo] O forte crescimento do setor apícola foi destacado pelo Secretário de Estado da Agricultura e Desenvolvimento Rural, […]

Comunicados

Douro e Dão são as regiões em destaque no Concurso Vinhos de Portugal 2021

Foram mais de 1.400 os vinhos que se candidataram à 8ª edição do Concurso Vinhos de Portugal, uma iniciativa da ViniPortugal que pretende distinguir a diversidade e excelência […]

Blogs

Vespa Asiática – Captura de fêmeas

Nesta época do ano, as fêmeas que sobreviveram ao inverno estão a fazer os ninhos primários (ninhos do tamanho de uma bola de ping-pong, ou um […]