Investigação desenvolve maçã menos exigente com frio

Investigação desenvolve maçã menos exigente com frio

A Embrapa Uva e Vinho (Empresa Brasileira de Pesquisa Agropecuária) anunciou ter descoberto o mecanismo de ação do gene ICE1 no processo de indução e superação da dormência da maçã. A descoberta abre caminho para o desenvolvimento de macieiras que precisam de menos dias de frio para produzir frutos.

O gene ICE1 funciona como uma espécie de “gatilho térmico” que dispara uma série de respostas ao ser estimulado pelo frio. Uma dessas reações é a indução da dormência – processo fundamental para plantas de clima temperado florescerem e produzirem frutos. De acordo com o investigador Luís Fernando Revers, responsável pela equipa que fez a descoberta, esse controle genético é um processo complexo e a identificação dos genes controladores um grande desafio.

“Esse processo é tão importante que instituições de investigação do mundo inteiro investem recursos em estudos para tentar entendê-lo. Podemos usar esse conhecimento para desenvolver novas cultivares com menor exigência de frio e continuar a produzir a fruta mesmo com o aquecimento [climático] percebido nos últimos anos”, explica Revers.

A macieira é induzida ao estado de dormência pelos primeiros frios do outono e passa o inverno a acumular horas de frio para superar a dormência e retomar o crescimento na primavera. As variedades Gala e Fuji, que representam mais de 90% da produção brasileira, precisam em média de 600 a 800 horas de frio para superar a dormência e atingir uma produção sustentável.

O projeto selecionou e estudou ao longo de sete anos duas populações segregantes de maçãs do Programa de Melhoramento Genético da Epagri (Empresa de Pesquisa Agropecuária e Extensão Rural do estado de Santa Catarina). As macieiras estudadas tinham diferentes períodos de brotação e floração, sendo mais tardias ou precoces, e os resultados permitiram a elaboração da hipótese do modelo de brotação, que foi divulgado num artigo científico publicado na revista Frontiers in Plant Science.

O investigador Marcus Vinícius Kvistchal, da Epagri, afirma que a confirmação da hipótese poderá acelerar o processo de desenvolvimento de uma nova cultivar nos próximos dez anos. Isso porque, segundo ele, a seleção de uma nova cultivar com menor exigência de frio poderá ser feita assim que a semente germinar, dispensado a sua avaliação de desenvolvimento no campo. “A descoberta irá possibilitar ações de melhoramento mais precisas e rápidas por meio da seleção assistida por marcadores moleculares”, prevê.

De acordo com Kvistchal, a descoberta será de “extrema importância” para todos os programas de melhoramento no mundo. Vai facilitar especialmente o desenvolvimento de novas cultivares mais adaptadas a regiões com menos frio, garantindo maior agilidade e precisão na criação de sementes. Nos 47 anos de existência do Programa de Melhoramento Genético da Maçã da Epagri, já foram lançadas 19 cultivares, sendo 15 híbridas e quatro seleções de mutações espontâneas.

Evelyne Costes, investigadora do Institut National de la Recherche Agronomique (INRA), na França, destaca que a descoberta não irá auxiliar apenas o setor produtivo no sul do Brasil. Isso porque a cada década que passa mais locais sofrem com a redução da exposição ao frio, o que atinge regiões produtoras do Mar Mediterrâneo, por exemplo.

“Alguns dos genes que foram associados à data de brotação podem ser potencialmente usados em programas de melhoramento para obter novas variedades mais adaptadas aos cenários climáticos presentes e futuros, no Brasil, mas também em diferentes países e para diferentes condições climáticas”, conclui.

O artigo foi publicado originalmente em Vida Rural.

Comente este artigo
Anterior Corticeira Amorim lança tecnologia anti-TCA para rolhas de espumante
Próximo A Rega na Agricultura - 26 de julho - Valpaços

Artigos relacionados

Últimas

Empresas recrutam cada vez mais lá fora

Chegam de Inglaterra, Alemanha, Itália, Irão, Colômbia, Lituânia, Ucrânia, França, Escócia, Índia, Turquia, Brasil, Espanha, Grécia, Dinamarca. São os novos imigrantes que vêm para Portugal pela experiência e pelo desafio profissional e pessoal. […]

Últimas

Incêndios: Empresas florestais criticam atuação do Governo na declaração de alerta

A Associação Nacional de Empresas Florestais, Agrícolas e do Ambiente (ANEFA) contestou hoje o despacho de alerta face ao risco de incêndio, acusando o Governo de usar “um subterfúgio legal, […]

Dossiers

Preços de produtos agrícolas no produtor crescem em Abril: mais 20,1% nos hortícolas frescos e 11,9% nos suínos

O índice de preços de produtos agrícolas no produtor, em Abril de 2020, registou uma variação positiva nos hortícolas frescos (+20,1%), suínos […]