Instituto da Natureza e Florestas multado por falta de limpeza da mata de Leiria

Instituto da Natureza e Florestas multado por falta de limpeza da mata de Leiria

A GNR multou o Instituto de Conservação da Natureza e das Florestas (ICNF) por falta de limpeza da Mata Nacional de Leiria, informou o Comando Territorial de Leiria, notando que, até à data, é a primeira vez que o faz.

Em causa estiveram, segundo informação enviada à agência Lusa pelo comandante da unidade, “oito situações de falta de gestão de combustíveis na Mata Nacional de Leiria”, denunciadas a 25 de Setembro de 2018 através da linha SOS Ambiente.

“Na sequência da análise das denúncias reportadas e posterior deslocação ao terreno, entre 9 de Outubro e 6 de Novembro de 2018, procedeu-se ao levantamento de oito autos de notícia por contra-ordenação”, acrescenta o Comando Territorial de Leiria da GNR.

Contactado pela agência Lusa, o ICNF reconhece ter sido notificado, mas apenas por quatro autos de contra-ordenação, “relativos a alegadas violações de normas do Sistema Nacional de Defesa da Floresta Contra Incêndios”.

O valor das contra-ordenações é ainda desconhecido, porque “os respectivos processos encontram-se em fase de instrução”, acrescenta o ICNF.

A acção da GNR foi divulgada pelo Jornal da Marinha Grande na edição de 21 de Março de 2019. Segundo a notícia, a denúncia foi feita em Março de 2018 por um munícipe não identificado, que terá reportado – à autarquia da Marinha Grande, PSP, GNR e Autoridade de Protecção Civil – situações de deficiente manutenção de áreas não ardidas no incêndio de 2017, que consumiu 86% da Mata Nacional de Leiria.

De acordo com o ICNF, “todas as situações que terão motivado a instauração de contra-ordenações estão ultrapassadas”.

Em causa, acrescenta o instituto, que tem entre as suas missões a defesa da floresta contra incêndios, estavam “alegadas violações do n.º 2 do art.º 36 do Sistema de Defesa de Floresta Contra Incêndios”, que obriga à remoção de materiais de áreas ardidas numa faixa mínima de 25 metros para cada lado das faixas de circulação rodoviária.

Além disso, o mesmo diploma obriga “à gestão de combustível numa faixa exterior de protecção de largura mínima não inferior a 100 metros nos aglomerados populacionais inseridos ou confinantes com espaços florestais”, o que também não se verificava nos locais denunciados.

Para intervir nos locais alvo de denúncia, o ICNF informa que, ao abrigo do Código dos Contratos Públicos, procedeu à contratação de uma empresa, por não dispor de “meios suficientes para proceder à gestão de combustíveis na totalidade das áreas públicas”.

“A escassez de mão-de-obra especializada e as condições meteorológicas, que impediram e dificultaram muito a circulação de máquinas nas zonas rurais, levaram a que muitos dos trabalhos de gestão de combustível não pudessem ter sido realizados dentro dos prazos contratados, tendo sido concluídos logo que possível”, acrescenta o ICNF.

A GNR de Leiria avança que, na Mata Nacional de Leiria e até à data, estas foram as primeiras situações em que autuou o ICNF.

Continue a ler este artigo no Público.

Comente este artigo
Anterior Agricultores de Pombal querem apoios para combater prejuízos causados por javalis
Próximo A Terra e os Homens - Episódio 1

Artigos relacionados

Comunicados

Programa de reforço de disponibilidade das Equipas de Sapadores Florestais 2020

No âmbito do Plano de Mitigação do Impacte da COVID 19 no SGIFR – 2020 teve lugar uma vídeo conferência entre o ICNF e as entidades titulares de […]

Últimas

VILMORIN oferece gama única e de alta qualidade

Com novas variedades de alto rendimento e tecnologia de semente para o sucesso dos profissionais do setor hortícola.
A Vilmorin faz parte do Grupo Internacional Limagrain, […]

Últimas

Faça Chuva Faça Sol – T.3 Ep.44

Na década de 1960 e 1970 Portugal era autossuficiente na produção de lúpulo , hoje produz apenas cerca de 5% das suas necessidades. Conheça esta matéria-prima que é responsável pelo travo amargo da cerveja tradicional. A flor de lúpulo […]