Inscrições para o Banco de Terras de Guimarães terminam a 16 de abril

Inscrições para o Banco de Terras de Guimarães terminam a 16 de abril

O Banco de Terras é um instrumento através do qual os proprietários podem arrendar ao Município terrenos abandonados, para que este os subarrende a empreendedores com vontade em criar o seu próprio negócio agrícola ou de base rural.

Estão em curso as inscrições para o Banco de Terras de Guimarães, cujo prazo termina no dia 16 de abril. Esta é uma oportunidade para os proprietários de terrenos abandonados ou sem utilização retirarem um benefício do seu terreno.

A Câmara Municipal lançou o Banco de Terras de Guimarães, primeiro Banco de Terras em Portugal, através da sua Incubadora de Base Rural (IBR Guimarães), como um instrumento através do qual os proprietários podem arrendar ao Município terrenos abandonados ou sem utilização, para que este os subarrende a empreendedores com vontade em criar o seu próprio negócio agrícola ou de base rural.

O Banco de Terras de Guimarães corporiza um conjunto de benefícios para o proprietário, na medida em que valoriza os terrenos com potencial agrícola ou florestal, com garantia de renda por parte do Município de Guimarães. Os proprietários recebem o património fundiário no mesmo estado de uso ou ainda melhor do que o estado inicial e deixa de ter custos com a limpeza anual de vegetação, espécies arbustivas e manta morta.

As inscrições para o Banco de Terras de Guimarães estão abertas até 16 de abril. Os proprietários interessados deverão consultar o aviso de abertura de candidaturas disponível no site do Município de Guimarães (http://www.cm-guimaraes.pt/pages/1267) e seguir as orientações para submissão da candidatura.

É possível obter mais informações através de e-mail (ibr@cm-guimaraes.pt), telefone (253 421 200), presencialmente nas instalações da Câmara Municipal de Guimarães ou nas várias sessões de divulgação que o Município organiza por todo o concelho.

A Incubadora de Base Rural de Guimarães (IBR Guimarães) foi criada em julho de 2017 com o intuito de apoiar empreendedores a desenvolver a sua ideia ou plano de negócio de base rural no concelho e tornar Guimarães como um território de referência no bom uso do solo agrícola e florestal.

Comente este artigo
Anterior IACA - Inovação e Competitividade: Que Indústria no Horizonte 2030? - 3 de Maio 2018 - Fátima
Próximo SIAZ: Resultados da campanha 2017-2018

Artigos relacionados

Comunicados

Governo deve agir – mais e melhor – nas medidas a tomar para acudir ao desastre dos Incêndios Florestais/Rurais em Monchique e Silves (e em Marvão e outros).

A CNA considera que Governo e demais Órgãos de Soberania devem agora definir e aplicar, o mais rapidamente possível, um conjunto de medidas e outras opções, […]

Dossiers

DIT-UK e INOVISA apoiam startups portuguesas de Agro-tecnologia – Reino Unido é destino privilegiado para a internacionalização.

O Departamento de Comércio Internacional (DIT-UK) na Embaixada Britânica em Lisboa e a INOVISA, criada pelo Instituto Superior de Agronomia, formaram uma parceria no âmbito do programa cropUP para apoiar startups nacionais com projectos inovadores na área da tecnologia aplicada ao sector agrícola e que tenham a ambição de desenvolver os seus projectos no Reino Unido. […]

Comunicados

Hogan plantea una regulación en la cadena alimentaria que no mejoraría la posición del agricultor:

ECVC considera que la propuesta del Comisario Hogan respecto a la regulación de las prácticas comerciales abusivas en la cadena alimentaria dista enormemente de las necesidades de agricultores y agricultoras europeos, […]