Há 100 mil euros para startups que tornem a agro-indústria mais “verde”

Há 100 mil euros para startups que tornem a agro-indústria mais “verde”

EIT Food Accelerator Network pretende ajudar ao crescimento de novas empresas europeias focadas numa actividade agro-alimentar sustentável. O programa inclui um plano de estudos de quatro meses e oferece às três melhores startups um prémio que pode atingir os 100 mil euros.

O EIT Food quer ajudar as 60 startups europeias mais inovadoras do sector agro-alimentar a crescer. É o mote por detrás da terceira edição do programa EIT Food Accelerator Network (FAN), promovido pela União Europeia, cujas inscrições abriram a 15 de Janeiro e decorrem até 10 de Março.

O consórcio – que, lê-se no site, trabalha no sentido de tornar o sistema alimentar “mais sustentável e saudável” – escolherá 60 das empresas candidatas, distribuindo-as por seis sedes de diferentes países. Uma das sedes da aceleradora de startups situa-se em Bilbau, no Parque Científico y Tecnológico de Biscaia. O EIT Food decidiu renovar a aposta na cidade basca – que na edição anterior já tinha acolhido dez dos projectos que participaram da iniciativa – por considerar que constitui um “pólo tecnológico e industrial” interessante, capaz de potenciar “ligações internacionais”. As restantes sedes dividem-se entre Munique (Alemanha), Cambridge (Inglaterra), Lausanne (Suíça), Haifa (Israel) e, pela primeira vez, Helsínquia (Finlândia).

Para serem elegíveis, as startups têm de ser empresas registadas. Para além disso, não podem ter tido um lucro superior a um milhão de euros nos últimos 12 meses e precisam de estar a desenvolver “produtos ou serviços que vão ter um grande impacto em qualquer parte da cadeia agrícola ou alimentar”.

O consórcio está à procura de empresas que consigam responder aos “problemas actuais do sector agro-alimentar” com soluções criativas, desde a agricultura inteligente ao embalamento sustentável, passando pela segurança alimentar e por inovações para combater o desperdício de alimentos.

O programa consiste num plano de estudos de quatro meses, com início em Julho, em que os 60 projectos escolhidos serão acompanhados por especialistas internacionais na indústria agro-alimentar. As startups serão integradas numa rede que as permitirá ter contacto com empresas já consolidadas no sector.

Depois de concluído o programa, o EIT FAN nomeará as três melhores empresas, premiando-as com um apoio financeiro que pode chegar até aos 100 mil euros.

Continue a ler este artigo no Público.

Comente este artigo
Anterior Produção de frango aumenta. Ovos em queda. Menos leite mas mais manteiga
Próximo Mercadona apresenta marca própria "Almeida Dias"

Artigos relacionados

Dossiers

Precipitação semanal e acumulada no ano hidrológico 2020/2021 – 08 de março de 2021

Precipitação semanal e acumulada no ano hidrológico com origem em 3 redes de Estações Meteorológicas, do COTR, […]

Nacional

Aumento das vendas de vinho verde reforça necessidade de dinamizar enoturismo na região

O presidente da Comissão de Viticultura da Região dos Vinhos Verdes (CVRVV), Manuel Pinheiro, afirmou hoje que o aumento “ligeiro” das vendas no setor reforça a necessidade de dinamizar o […]

Últimas

Incêndio no Pinhal de Leiria fica sem culpados

As silvas estão lá de novo, viçosas, a trepar o muro inacabado, de tijolo nu, que separa o quintal de Xana do início do Pinhal. […]