Fogos de Vila de Rei e Mação estão já em fase de resolução

Os fogos que surgiram no sábado em Vila de Rei e Mação tiveram uma evolução positiva durante a noite. Cerca de 90% do incêndio está já “em fase resolução”, anunciou a Protecção Civil esta terça-feira de manhã. “A situação está consideravelmente mais favorável por comparação com o final do dia de ontem”, disse Luís Belo Costa, Comandante Operacional de Agrupamento Distrital do Centro Sul (CADIS), aos jornalistas, no briefing desta manhã.

Neste momento, já não há “frentes vivas” e a prioridade são os 10% do perímetro que faltam consolidar. Mais: apesar de ter existido o receio de que o incêndio entrasse no concelho de Proença-a-Nova, tal não se verificou. “Os trabalhos durante a noite foram bastante frutíferos. A progressão foi travada em zonas difíceis, graças ao uso de maquinaria pesada e forças apeadas”, afirmou o responsável da Proteção Civil.

A precipitação que ocorreu durante a noite foi essencial para o controlo das chamas. Acalmou a temperatura e permitiu aos bombeiros descansar. As condições favoráveis à resolução do fogo, contudo, podem vir a complicar-se nas próximas horas: a partir da hora do almoço, devem registar-se temperaturas elevadas e ventos fortes, alertou Luís Belo Costa. “Estamos empenhados em rapidamente resolver aquilo que nos falta”, assegurou.

Segundo o página de ocorrências da Protecção Civil, só no distrito de Castelo Branco, estão no terreno mais de 1200 bombeiros e 380 viaturas.

De acordo com o IPMA, 29 concelhos de sete distritos estão hoje em risco máximo de incêndio, incluindo vários concelhos dos distritos de Castelo Branco e Santarém, afetados pelo grande incêndio que lavra desde o início do fim de semana passado.

O maior incêndio do ano (até agora)

Em pouco mais de 48 horas, arderam mais de 8.500 hectares de floresta nos distritos de Castelo Branco e Santarém. Segundo o sistema de proteção europeu, este é já o maior incêndio do ano em Portugal.

O fogo começou em Vila de Rei – em vários focos ao mesmo tempo, por isso há suspeitas fundadas de mão criminosa, como o Expresso já noticiou – e rapidamente alastrou-se até ao concelho de Mação. A Protecção Civil deu o primeiro alerta deste incêndio às 14h50 de sábado.

Desde o início deste incêndio registaram-se 16 feridos, dos quais 2 civis e 14 operacionais. No total, 39 pessoas foram assistidas pelo INEM.

O artigo foi publicado originalmente em Expresso.

Comente este artigo
Anterior Agroop: o Big Brother da produção agrícola que ajuda a semear e a poupar
Próximo “Onde há poucas pessoas, há pouco investimento público”, critica presidente da Câmara Municipal de Foz Côa

Artigos relacionados

Dossiers

E a Árvore Portuguesa do Ano é…

Portugal já elegeu a árvore que o vai representar no concurso europeu que escolhe a árvore do ano.
Tem 150 anos, […]

Nacional

Inaceitável amadorismo

Há uma semana, o nosso país sentiu uma alta brutal da temperatura atmosférica. Houve avisos e as autoridades tomaram precauções excecionais. […]

Últimas

Exportações nacionais de vinho crescem 2,5% até Julho. Preço médio aumenta 5%

As exportações nacionais de vinho cresceram, entre Janeiro e Julho deste ano, 2,5% em valor e 5% em preço médio. Este crescimento contribui com um aumento em mais de 11 milhões de euros (de 437 milhões para 448 milhões de euros no período homólogo) para o total das transacções externas deste importante produto do sector agro-alimentar português. […]