Fogos de Vila de Rei e Mação estão já em fase de resolução

Os fogos que surgiram no sábado em Vila de Rei e Mação tiveram uma evolução positiva durante a noite. Cerca de 90% do incêndio está já “em fase resolução”, anunciou a Protecção Civil esta terça-feira de manhã. “A situação está consideravelmente mais favorável por comparação com o final do dia de ontem”, disse Luís Belo Costa, Comandante Operacional de Agrupamento Distrital do Centro Sul (CADIS), aos jornalistas, no briefing desta manhã.

Neste momento, já não há “frentes vivas” e a prioridade são os 10% do perímetro que faltam consolidar. Mais: apesar de ter existido o receio de que o incêndio entrasse no concelho de Proença-a-Nova, tal não se verificou. “Os trabalhos durante a noite foram bastante frutíferos. A progressão foi travada em zonas difíceis, graças ao uso de maquinaria pesada e forças apeadas”, afirmou o responsável da Proteção Civil.

A precipitação que ocorreu durante a noite foi essencial para o controlo das chamas. Acalmou a temperatura e permitiu aos bombeiros descansar. As condições favoráveis à resolução do fogo, contudo, podem vir a complicar-se nas próximas horas: a partir da hora do almoço, devem registar-se temperaturas elevadas e ventos fortes, alertou Luís Belo Costa. “Estamos empenhados em rapidamente resolver aquilo que nos falta”, assegurou.

Segundo o página de ocorrências da Protecção Civil, só no distrito de Castelo Branco, estão no terreno mais de 1200 bombeiros e 380 viaturas.

De acordo com o IPMA, 29 concelhos de sete distritos estão hoje em risco máximo de incêndio, incluindo vários concelhos dos distritos de Castelo Branco e Santarém, afetados pelo grande incêndio que lavra desde o início do fim de semana passado.

O maior incêndio do ano (até agora)

Em pouco mais de 48 horas, arderam mais de 8.500 hectares de floresta nos distritos de Castelo Branco e Santarém. Segundo o sistema de proteção europeu, este é já o maior incêndio do ano em Portugal.

O fogo começou em Vila de Rei – em vários focos ao mesmo tempo, por isso há suspeitas fundadas de mão criminosa, como o Expresso já noticiou – e rapidamente alastrou-se até ao concelho de Mação. A Protecção Civil deu o primeiro alerta deste incêndio às 14h50 de sábado.

Desde o início deste incêndio registaram-se 16 feridos, dos quais 2 civis e 14 operacionais. No total, 39 pessoas foram assistidas pelo INEM.

Comente este artigo

O artigo foi publicado originalmente em Expresso .

Anterior Agroop: o Big Brother da produção agrícola que ajuda a semear e a poupar
Próximo “Onde há poucas pessoas, há pouco investimento público”, critica presidente da Câmara Municipal de Foz Côa

Artigos relacionados

Últimas

Terra Maronesa contrapõe reitor de Coimbra e garante produção amiga do ambiente

A Terra Maronesa enviou hoje uma carta aberta ao reitor Amílcar Falcão, após o anúncio da Universidade de Coimbra de eliminar a carne de vaca das cantinas a partir de janeiro de 2020. […]

Últimas

UE autoriza quelato de zinco do sulfato de metionina como aditivo em alimentos para animais

A Comissão Europeia acaba de autorizar o quelato de zinco do sulfato de metionina como aditivo em alimentos para animais de todas as espécies. […]

Nacional

Nova fábrica de transformação de cenoura vai criar 183 postos de trabalho em Almeirim

A 52-Fresh vai criar uma nova unidade de transformação de cenouras pequenas para exportação em Almeirim. De acordo com a Câmara Municipal de Almeirim, […]