Dominado fogo no cencelho de Penedono em Viseu

Dominado fogo no cencelho de Penedono em Viseu

De acordo com a Autoridade Nacional de Emergência e Proteção Civil (ANEP), o fogo teve início às 17:49 de domingo, foi dominado às 02:45 de segunda-feira, mas voltou a reacender.

Às 06:30 de hoje estavam no local 231 operacionais, com o apoio de 66 veículos.

Na segunda-feira, o Comando Distrital de Operações de Socorro (CDOS) de Viseu tinha anunciado a existência de dois feridos, dois bombeiros que sofreram ferimentos ligeiros.

Ainda no distrito de Viseu, está também dominado o incêndio em Penalva do Castelo, que teve início às 17:26 de segunda-feira, em Antas e Miuzela.

“Apesar de dominado, vai ser ainda necessário efetuar um longo trabalho de consolidação e de rescaldo em todo o perímetro do incêndio”, explicou fonte do CDOS de Viseu, contactada pelas 04:00.

Às 06:30 estavam no local 121 operacionais, com o auxílio de 35 veículos.

A esta hora, estava ainda por dominar o incêndio na freguesia de Fundada, concelho de Vila de Rei, no distrito de Castelo Branco, que estava a ser combatido por 1.025 operacionais, com o apoio de 328 veículos.

O incêndio que teve início em Vila de Rei às 14:50 de sábado destruiu até segunda-feira 8.558 hectares, de acordo com Sistema Europeu de Informação de Incêndios Florestais (EFFIS).

Vários incêndios deflagraram no distrito de Castelo Branco ao início da tarde de sábado. Dois com origem na Sertã e um em Vila de Rei assumiram maiores dimensões, tendo este último alastrado, ainda no sábado, ao concelho de Mação, distrito de Santarém.

No mais recente ‘briefing’ com os jornalistas, às 20:00 segunda-feira, a Proteção Civil anunciou que, depois de uma tarde de reativações e de um combate difícil, o fogo estava “em resolução” no concelho de Vila de Rei, enquanto 70% do incêndio em Mação estava também “em rescaldo”.

Trinta e nove pessoas foram assistidas no âmbito deste incêndio, das quais 15 são consideradas feridos ligeiros e uma sofreu ferimentos com gravidade. Destes 16 feridos, cinco são civis.

Depois de Portugal ter solicitado “assistência bilateral”, foram mobilizados para o combate dois aviões pesados anfíbios espanhóis.

Ainda segundo o ´site’ do EFFIS consultado hoje, este ano já arderam em Portugal 17.498 hectares, num total de 122 fogos.

Comente este artigo

O artigo foi publicado originalmente em SAPO 24 .

Anterior Empresa romena procura fornecedores de doces, gelados, pastelaria e café
Próximo Agroop: o Big Brother da produção agrícola que ajuda a semear e a poupar

Artigos relacionados

Últimas

Cooperativa do Cadaval investe seis milhões de euros em central fruteira

A COOPVAL, uma das maiores organizações de produtores de pera rocha do país, assinalou os 50 anos com um investimento de seis milhões de euros na modernização do espaço e da imagem da central fruteira localizada no Cadaval. […]

Nacional

Tribunal de Contas deu visto aos meios aéreos de combate a incêndios

O Tribunal de Contas (TdC) já despachou favoravelmente os contratos de disponibilização e locação dos meios aéreos de combate aos incêndios florestais submetidos à […]

Últimas

Feira Nacional de Agricultura está a chegar!

Contagem decrescente para a tradicional e afamada Feira Nacional de Agricultura. A feira agrícola, que junta o rural e o urbano, de 10 a 18 de Junho de 2017, no Centro Nacional de Exposições, em Santarém. Video dentro da notícia!!