FAQ’s COVID-19 – Agricultura

FAQ’s COVID-19 – Agricultura

1 – O que está a ser feito no âmbito das medidas do Programa de Desenvolvimento Rural 2014-2020 (PDR 2020), da medida de Promoção de Vinhos em Mercados de Países Terceiros e dos Programas Operacionais Frutas e Hortícolas visando minimizar os impactos económicos do COVID-19?

No contexto das medidas do Programa de Desenvolvimento Rural 2014-2020 (PDR 2020), da medida de Promoção de Vinhos em Mercados de Países Terceiros e dos Programas Operacionais Frutas e Hortícolas, estão a ser tomadas todas as diligências para agilizar a liquidação dos pedidos de pagamento, através da atribuição dos incentivos a título de adiantamento, com regularização posterior.

Quanto aos Apoios à Promoção de Vinhos em Mercados de Países Terceiros, não serão penalizados os projetos de promoção que, devido aos impactos negativos decorrentes do COVID-19, não atinjam o orçamento ou a taxa de execução financeira prevista na concretização de ações ou metas.

2 – Caso uma feira ou outro evento de promoção de produtos seja cancelado devido à pandemia COVID-19, quais as minhas garantias?

São elegíveis para reembolso as despesas comprovadamente suportadas pelos beneficiários em iniciativas ou ações canceladas ou adiadas por razões relacionadas com o COVID-19, previstas em projetos aprovados pelo Portugal 2020, em que se inclui o PDR 2020, ou outros programas operacionais, nomeadamente nas áreas da internacionalização e da formação profissional, bem como pelo Instituto do Vinho e da Vinha I.P., no âmbito da medida de apoio à promoção de vinhos em países terceiros.

3 – Haverá mais medidas associadas ao PDR2020?

Relativamente ao Programa de Desenvolvimento Rural 2014-2020 (PDR 2020), anunciam-se ainda as seguintes medidas:

a. Alargamento dos prazos de execução contratualmente definidos para finalizar a execução físico-financeira dos projetos;

b. Autorização para apresentação de maior número de pagamentos intercalares com faseamento da submissão de despesa e respetivo reembolso.

4 – Haverá mais garantias para os créditos que contraí para exportar produtos portugueses para o estrangeiro?

Relativamente aos seguros de crédito à exportação com garantias de Estado, no âmbito do apoio à diversificação de clientes, em particular para mercados fora da União Europeia, determina-se o aumento de 250 milhões de euros para 300 milhões de euros, para o plafond da linha de seguro de crédito à exportação de curto prazo.

5 – Posso candidatar-me à linha de crédito, no valor de 200 milhões de euros, anunciada pelo Governo?

No que diz respeito à Linha de Crédito Capitalizar 2018 | COVID-19:

a. As empresas do setor do agroalimentar têm acesso à linha de crédito Capitalizar 2018 | COVID-19 para fazer face às necessidades de fundo de maneio e de tesouraria;
b. As operações de crédito concedidas neste âmbito beneficiam de uma garantia até 80% do capital em dívida, sendo a comissão de garantia integralmente bonificada.

6 – Os prazos estabelecidos para submissão de candidaturas, no âmbito das ajudas do Pedido Único 2020, vão manter-se?

No âmbito das ajudas do Pedido Único 2020, será prorrogado o prazo inicialmente estabelecido para submissão das candidaturas.

No entanto, recorda-se que as candidaturas podem ser realizadas por via eletrónica, sem necessidade de se deslocarem presencialmente às salas de atendimento autorizadas, através de “O Meu Processo” na Área Reservada do Portal do IFAP, em https://www.ifap.pt.

Para o efeito, o beneficiário deve estar registado no Portal do IFAP, possuir um código de utilizador (login) e respetiva palavra-passe (password).

7 – A procura excessiva de produtos nos supermercados não poderá criar problemas de abastecimento e distribuição?

No âmbito do Grupo de Trabalho de Acompanhamento e Avaliação das Condições de Abastecimento de Bens nos Setores Agroalimentar e do Retalho em Virtude das Dinâmicas de Mercado determinadas pelo COVID-19, a Área Governativa da Agricultura está empenhada em contribuir positivamente para encontrar as adequadas soluções para os desafios que ali sejam identificados, em prol da adoção das medidas preventivas ou corretivas que deste grupo resultem, destinadas a manter ou restabelecer as normais condições de abastecimento.

Foi também constituído um grupo para acompanhamento do funcionamento da cadeia de abastecimento alimentar, visando ainda assegurar uma monitorização efetiva da evolução da situação económica das empresas do setor. Neste grupo participam as entidades representativas dos setores e atividades que, pela sua relevância em termos setoriais, têm contacto direto com os operadores e detêm um conhecimento mais efetivo da situação.

8 – Esta é uma situação dinâmica. Caso seja necessário, estas medidas de apoio serão revistas?

Estas medidas procuram dar resposta imediata às situações já identificadas. Contudo, encontram-se em estudo outras ações, podendo este pacote ser atualizado a todo o momento.
Sublinha-se ainda que, no âmbito do setor agroalimentar, os dados atualmente disponíveis permitem-nos reafirmar a nossa total confiança na capacidade de resposta do sistema de abastecimento, estando garantida a segurança e a qualidade dos produtos alimentares.

Subscreva as nossas newsletters aqui.

Comente este artigo
Anterior Cidadãos prometem lutar pela defesa do Centro de Experimentação Agrária de Tavira
Próximo Previsão semanal do tempo 15 – 21 Março

Artigos relacionados

Comunicados

Protesto no Ministério da Agricultura

Exmos Srs,

A nossa quinta de amoras, em Idanha-a-Nova, onde investimos quase meio milhão de euros, co-financiada pela UE através do programa de jovens agricultores, […]

Últimas

Cotações – Cortiça – Informação Semanal – 23 a 29 Setembro 2019

Análise SIMA – Sistema de Informação de Mercados Agrícolas
Conjuntura semanal
Na semana em análise, prosseguiram as campanhas nas áreas de mercado Alentejo e Trás-os-Montes, […]

Sugeridas

Formação técnica para produção de cereais de outono/inverno, visando a rentabilidade e estabilidade de produção

A ANPOC, o INIAV e o IP-BEJA estão a organizar a 4ª Formação Técnica de Cereais que tem como público-alvo agricultores, técnicos agrícolas, operadores de maquinaria agrícola, estudantes e qualquer outra pessoa que deseje ter uma maior especialização nesta área agrícola. […]