Cotações – Suínos – 27 de setembro a 3 de outubro de 2021

Cotações – Suínos – 27 de setembro a 3 de outubro de 2021

As cotações médias, mais frequentes, de porco classe E e de porco Classe S, à entrada no matadouro, desceram 0,04 €/kg Peso Carcaça. a cotação média mais frequente de leitão até 12 kg à saída de produção, desceu 0,017 €/kg Peso Vivo. A cotação mais frequente de leitão 19 a 25 kg à saída de produção, desceu 0,20 €/kg Peso Vivo.

Na região Entre Douro e Minho, na área de mercado Entre Douro e Minho Regional a oferta e a procura foram médias e sem dificuldade de escoamento.

Manteve-se a forte concorrência de produto importado. Segundo os agentes, continuou a fazer-se sentir pressão nas cotações devido ao embargo da Rússia à importação de suínos.

Relativamente ao Porco E e S as cotações mínimas desceram 0,07 €/kg Peso Carcaça, as cotações máximas desceram, 0,04 e 0,05 €/kg Peso Carcaça, respetivamente e as mais frequentes, desceram 0,03 e 0,04 €/kg Peso Carcaça, respetivamente. Com exceção das referidas houve manutenção de cotações.

Na região Beira Litoral, na área de mercado Beira Litoral, os porcos, classe E, 57% de rendimento” e classe S, > 60% de rendimento os valores seguiram a tendência de descida das bolsas Montijo e Lérida. A oferta foi média e a procura foi média/baixa.

A oferta de leitão estava forte (Mercado Nacional e externo A procura é fraca e a diminuir, normal para a época. Maior procura no leitão específico de assar. Algum leitão a ser congelado. Tendência de descida nas próximas semanas. Importação de Espanha, Holanda e Bélgica.

As cotações, mínimas de porco, classe E, 57 % rendimento e de porco classe S, > 60 % de rendimento, desceram, 0,04 €/kg Peso Carcaça, as cotações, máximas e mais frequentes, desceram 0,03 €/kg Peso Carcaça. As cotações, mínima e mais frequente de leitão < 12 kg, à saída da produção, diminuíram, 0,17 e 0,41 €/kg Peso Vivo. Com exceção das referidas houve manutenção de cotações na região.

Na região Beira Interior, na área de mercado Beira Interior a procura foi média/baixa e a oferta foi média. As cotações que se alteraram seguiram a tendência de descida das Bolsa de Lérida e Montijo. As cotações, mínimas de porco, classe E, 57 % rendimento e de porco classe S, > 60 % de rendimento, desceram, 0,04 €/kg Peso Carcaça, as cotações, máximas e mais frequentes, desceram 0,03 €/kg Peso Carcaça. As restantes cotações não se alteraram.

Na região Ribatejo e Oeste, na área de mercado Ribatejo e Oeste, a oferta foi média e a procura foi média/baixa. As cotações, mais frequentes de porco, classe E, 57 % rendimento e de porco classe S, > 60 % de rendimento, desceram, 0,04 €/kg Peso Carcaça, e as cotações mínimas, desceram 0,05 e 0,04 €/kg Peso Carcaça, respetivamente. As cotação, mínima de leitão < 12 kg, à saída da produção, diminuiu 0,25 €/kg Peso Vivo.

Na região Alentejo, nas áreas de mercado, Alto Alentejo e Baixo Alentejo, a oferta e a procura foram médias. Na área de mercado Alentejo procura foi média/baixa e a oferta foi alta. Houve manutenção de cotações de todos os produtos, nas áreas de mercado Baixo Alentejo e Alto Alentejo.

Na área de mercado Alentejo, as cotações, mais frequentes de porco, classe E, 57 % rendimento e de porco classe S, > 60 % de rendimento, desceram, 0,05 €/kg Peso Carcaça, as cotações mínimas desceram 0,06 e 0,03 €/kg Peso Carcaça, respetivamente. As cotações mínimas, máximas e mais frequentes de, de leitão, 19 a 25 kg, desceram 0,10 €/kg Peso Vivo. As cotações, máxima e mais frequente, de leitão < 12 kg, desceram, 0,17 e 0,10 €/kg Peso Vivo, respetivamente. Exceto as referidas as restantes cotações não se alteraram.

→ Aceda aqui às cotações ←

Cotações – Suínos – 20 a 26 de setembro de 2021

Comente este artigo
Anterior Cotações - Ovinos e Caprinos - 27 de setembro a 3 de outubro de 2021
Próximo Cotações - Bovinos - 27 de setembro a 3 de outubro de 2021

Artigos relacionados

Últimas

BE de Santarém acusa Governo de desvalorizar problemas que afectam o Tejo

O Bloco de Esquerda (BE) de Santarém acusou esta quarta-feira o Governo de desvalorizar os problemas que afectam o rio Tejo e instou a tutela a pedir responsabilidades às autoridades espanholas, […]

Nacional

Estudo. Olivais modernos aumentam a fixação da população rural

São muitos os defensores de que o olival moderno elimina mão-de-obra, ao substituir pessoas por maquinaria, embora “o que se gera seja um trabalho mais profissionalizado e melhor remunerado, […]

Dossiers

Presidente do Governo dos Açores apela ao diálogo para distribuição justa na cadeia agroalimentar

O presidente do Governo Regional dos Açores, José Manuel Bolieiro, apelou hoje ao diálogo para que haja uma distribuição de riqueza mais justa na cadeia agroalimentar e um aumento […]