Usando a Arabidopsis, os investigadores do Brookhaven Lab estão a tentar identificar estratégias para fazer com que as plantas produzam e acumulem mais óleo. O objetivo é transferir essas abordagens para plantas de cultivo de energia, como Energy cane e Miscanthus. Combustíveis | Cientistas desenvolvem plantas que produzem mais óleo

Combustíveis | Cientistas desenvolvem plantas que produzem mais óleo

Uma equipa do Laboratório Nacional de Brookhaven (BNL) do Departamento de Energia dos EUA criou uma planta que produz mais óleo ao manipular a disponibilidade de açúcar para a síntese de óleo. A ideia é conseguir um abastecimento sustentável de óleo que pode ser usado para produzir biodiesel, combustíveis e bioprodutos.

Liderada por John Shanklin do BNL, a equipa de investigadores dp BNL usou folhas da planta de crescimento rápido Arabidopsis para imitar células-tronco de plantas como Energy cane e Miscanthus. O objetivo é identificar estratégias para fazer as plantas produzirem e acumularem mais óleo e transferir essas abordagens para plantas de cultivo energético.

Este trabalho integra um projeto de design de biossistemas liderado pela Universidade de Illinois para desenvolver duas das culturas de biomassa americanas mais produtivas para garantir um abastecimento abundante e sustentável de óleo que pode ser usado para produzir biodiesel, combustíveis e bioprodutos.

“O aspecto inovador deste trabalho foi minimizar a acumulação de açúcar num grande compartimento de armazenamento celular chamado vacúolo”, explicou Sanket Anaokar, investigador associado do BNL. “A nossa abordagem consistiu em bloquear o movimento do açúcar no vacúolo e maximizar a sua exportação.” Sanket Anaokar e a sua equipa descobriram que quando essas manipulações genéticas eram feitas em plantas que também são bloqueadas na síntese de amido, a célula canalizava o açúcar extra em óleo ”.

Mais informações aqui.

O artigo foi publicado originalmente em CiB - Centro de Informação de Biotecnologia.

Comente este artigo
Anterior DGAV: Lista de insetos colocados no mercado ao abrigo de medidas transitórias
Próximo Projecto Km0: E se no Alentejo comêssemos mais produtos alentejanos?

Artigos relacionados

Últimas

Dia da Vida Selvagem assinalado no Parque d’Aire e Candeeiros com “oásis no meio da serra”

O Dia Mundial da Vida Selvagem é assinalado hoje no Parque Natural das Serras d’Aire e Candeeiros (PNSAC) com a inauguração do ponto de água da […]

Dossiers

Oferta de emprego – Técnico de Qualidade e Certificações – Engenheiro Agrónomo – Odemira

A Sudoberry SA. procura Engenheiro Agrónomo. Funções: Gestão e coordenação de todo o processo que afeta a qualidade […]

Últimas

Rentabilidade compensa adesão à certificação

Fundada em 2003, a associação de produtores florestais da região Oeste – APAS Flo­resta – cedo percebeu os bene­fícios da certificação da ges­tão florestal. […]