Chuvas torrenciais em Espanha causam dois mortos e deixam dezenas de pessoas desalojadas

Chuvas torrenciais em Espanha causam dois mortos e deixam dezenas de pessoas desalojadas

As chuvas torrenciais causadas pela depressão Dana e que afectam desde segunda-feira boa parte do sudeste de Espanha já causaram duas mortes. Esta quinta-feira, avança o El País, dois irmãos de 61 e 51 anos foram arrastados pela força da água na viatura em que seguiam em Caudete, município na província de Albacete. Os dois irmãos ficaram presos dentro do carro e acabaram por morrer.

A passagem da depressão fez transbordar vários rios, provocando dezenas de desalojados e deixou um rasto de destruição em várias regiões do sudeste de Espanha, entre estas Valência, Múrcia, Alicante, Albacete e Castilla-La Mancha.

A enchente no rio Clariano, em Ontinyent, uma das cidades da região de Valência mais afectada pela tempestade, fez com que pelo menos 40 pessoas tivessem de ser socorridas e outras 150 evacuadas de suas casas. As inundações aconteceram depois de as chuvas atingirem os 280 litros por metro quadrado em apenas 24 horas, obrigando a polícia local a bloquear acessos e a evacuar as casas mais próximas. Também em Castilla-La Mancha, 13 pessoas tiveram que ser resgatadas, mais nove em Caudete e quatro em Almansa.

As ligações ferroviárias entre Cartagena, Murcia e Albacete foram também suspensas devido a inundações em vários pontos das linhas. A circulação rodoviária também está condicionada em várias regiões. No total, relata o El País, existem cerca de 20 estradas regionais cortadas ao trânsito, além de inúmeras ruas e estradas de menor dimensão em grande parte dos municípios afectados. Nos municípios de Cieza (em Múrcia) e Blanca (em Alicante) foi necessário retirar 90 pessoas das suas habitações. Além destes, outros municípios espanhóis já permitiram a constituição de abrigos de emergência para acolher os cidadãos afectados.

Em Caudete, o WhatsApp tornou-se o principal meio de comunicação para o exterior e entre vizinhos, numa cidade em que apenas um dos quatro acessos rodoviários se mantém aberto. “Estamos todos a aguardar para perceber o que aconteceu”, diz uma das habitantes citadas pelo El País. “Não estamos habituados a ouvir tantas sirenes da polícia, ambulâncias e bombeiros”, acrescenta.

Na província de Valência, dezenas de escolas viram-se obrigadas a fechar portas e a mandar mais de 300 mil estudantes para casa devido à chuva forte e ao vento. Em Múrcia, o governo local declarou situação de emergência com receio que o rio Segura transborde. Uma das barragens da região, que assegura inclusivamente os canais de transferência entre o Tejo (do lado espanhol) e o rio Segura atingiu esta quinta-feira 98% da sua capacidade total.

Até às 17h desta quinta-feira, os serviços de emergência espanhóis tinham recebido 745 chamadas relacionadas com as fortes chuvas na região de Múrcia, a maioria pedindo informações sobre o ponto de situação. Os municípios estão a pedir aos residentes que ajam com “bom senso” e “prudência”, uma vez que em algumas regiões “o pior ainda não passou”. O aviso vermelho da AEMET, a agência de meteorologia espanhola, está activado até às seis da manhã desta sexta-feira, altura em que é esperado que transite para laranja.

A depressão está agora a deslocar-se para o Sul da província de Alicante, mais concretamente para a região de Vega Baja del Segura. Ainda não existem dados oficiais do Governo, mas as estações meteorológicas do país já lançaram alertas para problemas em municípios como Cox, Rafal, Dolores, Albatera ou Almoradí, todos localizados na província de Alicante.

Comente este artigo

O artigo foi publicado originalmente em Público.

Anterior Aumentamos o pastor ou investimos em guarda-sóis para ovelhas?
Próximo Desertificação não tem de significar abandono

Artigos relacionados

Sugeridas

O Futuro Sustentável da Alimentação

O World Resources Institute, em conjunto com o World Bank Group elaborou no final do ano passado um relatório focado nas oportunidades técnicas e políticas que a alimentação irá enfrentar nos próximos 30 anos. […]

Notícias florestas

Produtores florestais pedem adiamento do prazo para limpeza de terrenos

Produtores florestais pediram, esta quarta-feira, o adiamento para o final de abril do limite para a limpeza de terrenos sem multa aos proprietários, […]

Comunicados

Carta aberta: O papel da gestão e da atividade cinegética na implementação de políticas de desenvolvimento rural, conservação da natureza e coesão territorial

Na generalidade do território nacional rural, são os proprietários rurais, os agricultores, os produtores florestais e os gestores cinegéticos […]