Apenas um município se candidatou aos milhões prometidos para limpar florestas

Apenas um município se candidatou aos milhões prometidos para limpar florestas

[Fonte: Público]

Autarquias não estão a recorrer à linha de crédito para financiar limpeza de terrenos

Há 50 milhões de euros disponíveis para apoiar os municípios no pagamento das despesas com a limpeza dos terrenos florestais, nos casos em que os proprietários privados não o tenham feito. Mas, até agora, o Ministério da Administração Interna (MAI) tem em análise uma única candidatura. O prazo para aceder a estas verbas decorre até 30 de Setembro, pelo que, até lá, “os municípios podem avaliar as suas concretas necessidades e obter financiamento”, adiantou aquele ministério.

Este é o segundo ano em que o Governo disponibiliza esta linha de crédito para Limpeza de Faixas de Gestão de Combustível. O objectivo é permitir que os municípios possam assegurar a limpeza dos terrenos em substituição dos proprietários privados incumpridores, sendo que o prazo para o fazerem terminou esta sexta-feira. 

No ano passado, apenas 18, dos 308 municípios do país, se candidataram àquele financiamento, num montante global de cerca de sete milhões de euros, ou seja, menos 14% do total de 50 milhões de euros disponíveis. E, como o PÚBLICO noticiou em Março, ao fim de seis meses, o dinheiro não tinha chegado a nenhuma das autarquias que foram, entretanto, confrontadas com a informação de que só seriam ressarcidas das despesas mediante a apresentação de facturas.

No entender dos autarcas, isto contraria o estipulado no decreto-lei nº 22/2018 onde se declara que “o acesso à linha de crédito pelos municípios pode ser requerido em momento anterior ou posterior à realização da despesa”. E, como adiantaram ao PÚBLICO, muitos autarcas alegaram não ter cabimentação orçamental para suportarem essa despesa, o que poderá ajudar a explicar que, este ano, apenas uma se tenha candidatado àquele financiamento.

Nos termos da lei, as autarquias que beneficiem deste financiamento estão obrigadas a reembolsar essas verbas. Depois de um ano de carência, o reembolso ao Estado tem de ser feito num prazo de cinco a dez anos, consoante o financiamento tenha sido inferior ou superior a um milhão de euros.

Noutra frente, o balanço mais recente da GNR mostra que, no âmbito das operações de fiscalização da limpeza dos terrenos, foram instauradas 1710 contra-ordenações. Desde o início do ano e até ao passado dia 26, aquela polícia deteve 28 pessoas e identificou 199 pelo crime de incêndio florestal.

Comente este artigo

O artigo Apenas um município se candidatou aos milhões prometidos para limpar florestas foi publicado originalmente em Público.

Anterior Los cambios en el PE no provocarán variaciones significativas en la nueva PAC
Próximo ANPOC lança marca Cereais do Alentejo e prevê atingir 2,5 milhões de euros em volume de negócios até 2021

Artigos relacionados

Últimas

Militares patrulham áras florestais mais sensíveis até 30 de Setembro

[Fonte: Gazeta Rural]

As Forças Armadas começaram a patrulhar as áreas mais sensíveis da floresta e sensibilizar a população para a prevenção dos fogos, informou o Estado-Maior-General, em comunicado colocado no seu sítio na internet.
ste patrulhamento, que se vai prolongar até […]

Nacional

Três anos de seca deixa albufeiras sem água para a campanha de rega de 2017

O terceiro ano consecutivo de precipitação inferior ao normal agrava o armazenamento das albufeiras do Alentejo, onde as disponibilidades não ultrapassam os 40% do volume total.
Na bacia hidrográfica do Sado ocorrem os registos mais críticos, com volumes armazenados úteis nas albufeiras de Odivelas e do Roxo de 6% e 10%, […]

Comunicados

Guia para as operações de Primavera: a adubação.

A Primavera é uma óptima altura para plantar, controlar infestantes e adubar.
 A adubação deve ser feita entre o 1º e o 4º ano de idade do povoamento, de  preferência na Primavera, e pode contribuir para um incremento de produtividade de mais de 20%.
Antes de adubar deve, […]