A1 a A25 cortadas devido a fogo em Albergaria-a-Velha

A1 a A25 cortadas devido a fogo em Albergaria-a-Velha

A Autoestrada do Norte (A1) e a A25 (Beiras Litoral e Alta) estavam às 8h35 desta sexta-feira cortadas devido a um incêndio no concelho de Albergaria-a-Velha, Aveiro, que mobiliza 227 operacionais, de acordo com o Comando Nacional da Protecção Civil.

Estão cortadas a A1 (Albergaria – Aveiro Sul), a A25 (no nó de Angeja Carvoeiro) e Estrada Nacional 16.2 junto às localidades de Afilhó e Alquerubim. Em declarações à agência Lusa, o comandante operacional, António Ribeiro, explicou que foi necessário o corte das estradas por causa do incêndio que deflagrou às 11h28 de quinta-feira na localidade de Paus, freguesia de Alquerubim, concelho de Albergaria-a-Velha.

Às 8h45, o fogo estava com duas frentes activas e mobilizava 265 operacionais, com o apoio de 78 veículos e seis meios aéreos. “O incêndio ainda não está dominado. Durante a noite foi preciso proteger algumas habitações. Este incêndio atravessou o perímetro urbano”, disse, acrescentando que o vento forte está a dificultar o combate.

Também no distrito de Aveiro, no concelho de Águeda continuava às 8h40 por dominar o fogo que começou às 16h28 de quinta-feira em Veiga, na freguesia de Valongo do Vouga. Este incêndio tem uma frente activa e está a ser combatido por 247 operacionais, com o apoio de 76 veículos.

“À semelhança do de Albergaria, também este incêndio continua por dominar. Também houve habitações em risco. O combate é difícil devido ao vento forte que facilita as projecções”, disse o comandante António Ribeiro. De acordo com o comandante, de manhã se as condições climatéricas (vento forte) e o fumo o permitirem, o combate vai ser reforçado com meios aéreos.

Ainda no distrito de Aveiro, continuava às 8h40 activo o fogo que deflagrou na quinta-feira às 11h29 na freguesia de Macinhata do Vouga, Águeda, mobilizando 127 operacionais, com o auxílio de 29 operacionais.

Por causa deste incêndio, estavam às 8h40 cortados alguns nós da A1, A25 e IC2 (no nó de Albergaria e Lamas do Vouga).

Por dominar nesta manhã, está ainda o fogo que deflagrou às 23h36 nas freguesias de Teixeira e Teixeiró, concelho de Baião, no distrito do Porto, que estava às 7h30 a ser combatido por 125 operacionais, com o apoio de 40 veículos. 

Estão 1487 operacionais no terreno a combater incêndios por todo o país, de acordo com a informação disponível no site da Protecção Civil, pelas 8h50. Estão a ser apoiados por 460 veículos e seis meios aéreos. Quase metade dos operacionais – 606 – combate incêndios que deflagraram no distrito de Aveiro.

Quase 100 de concelhos em risco máximo de incêndio

Cerca de uma centena de concelhos de 13 distritos de Portugal continental apresentam nesta sexta-feira risco máximo de incêndio, segundo o Instituto Português do Mar e da Atmosfera (IPMA).

Em risco máximo de incêndio estão cerca de cem concelhos dos distritos de Faro, Beja, Castelo Branco, Portalegre, Santarém, Leiria, Coimbra, Guarda, Viseu, Porto, Aveiro, Vila Real, e Bragança. O IPMA colocou ainda vários concelhos de todos os distritos de Portugal continental em risco muito elevado e elevado de incêndio. Este risco de incêndio determinado pelo IPMA tem cinco níveis, que vão de reduzido a máximo, sendo o elevado o terceiro nível mais grave.

Por causa do tempo quente, o IPMA colocou sob aviso amarelo os distritos de Leiria, Lisboa, Setúbal, Évora, Beja e Faro até às 21h de sábado. O aviso amarelo, o terceiro de uma escala de quatro, revela situação de risco para determinadas actividades dependentes da situação meteorológica.

Pela mesma razão, o Governo declarou na terça-feira a situação de alerta de agravamento do risco de incêndio florestal entre as 00h00 de quarta-feira e as 23h59 de domingo, para todo o território continental.

O IPMA prevê para esta sexta-feira no continente céu geralmente limpo e um aumento temporário de nebulosidade no interior do Baixo Alentejo e Algarve, com possibilidade de ocorrência de aguaceiros e trovoada.

Está também previsto vento fraco a moderado do quadrante leste, temporariamente de noroeste durante a tarde na faixa costeira ocidental, e sendo moderado a forte nas terras altas até final da manhã e a partir do final da tarde, com rajadas até 75 quilómetros por hora no Norte e Centro. O IPMA prevê ainda pequena descida da temperatura máxima.

As temperaturas mínimas vão oscilar entre os 9ºC (na Guarda) e os 22ºC (em Lisboa) e as máximas entre os 24ºC (na Guarda) e os 36ºC (em Évora e Santarém).

O artigo foi publicado originalmente em Público.

Comente este artigo
Anterior Tempo: Máximas descem ligeiramente esta sexta-feira
Próximo Fuertes descensos en los precios de las almendras

Artigos relacionados

Nacional

2 anos após a tragédia – Governo poderia ter feito melhor

Há praticamente dois anos escrevi este texto aqui no Expresso lembrando que a melhor homenagem que poderíamos fazer “às vítimas da tragédia dos incêndios e ao esforço dos bombeiros que todos os anos arriscam a vida para nos salvar, […]

Últimas

Indústria agro-alimentar prevê superar 17 mil milhões de volume de negócios este ano

«Portugal pode orgulhar-se da sua indústria agro-alimentar». Foi assim que João Torres, secretário de Estado da Defesa do Consumidor deu início ao seu discurso na abertura do sétimo congresso da Federação das Indústrias Portuguesas Agro-Alimentares (FIPA), […]