Turismo e características regionais destacam vinhos portugueses em Dusseldord

Turismo e características regionais destacam vinhos portugueses em Dusseldord

[Fonte: Gazeta Rural]

O turismo tem conseguido captar a atenção dos importadores para o setor vinícola português, mas são, principalmente, as características intrínsecas de cada região que distinguem as marcas nacionais, confirmaram à Lusa alguns dos produtores presentes na feira ProWein.

São mais de 390 produtores nacionais a marcar presença na 25.ª edição da maior feira de vinhos e bebidas espirituosas da Europa, contando Portugal com um espaço de quase 3.000 metros quadrados.

“O nosso trabalho é de diferenciação. Vemos em cada produtor um parceiro, mas vamos demarcando-nos e criando o nosso próprio espaço, sempre através da valorização do território, na perspetiva de ver a nossa produção como algo único”, disse à Lusa Luís Cerdeira da Soalheiro, marca da região norte.

Para o responsável, o interesse pelos vinhos da região de Melgaço tem beneficiado também do enoturismo, porque permite que os turistas conheçam “a realidade da adega”.

Fonte: Sapo.pt

O objetivo da marca passa por um posicionamento de topo no mercado dos vinhos brancos, apostando em linhas como frutados, minerais ou de altitude.

Apesar de ser hoje o primeiro dia da feira, as perspetivas são “boas”, estando a Soalheiro “cheia de reuniões” agendadas.

Por sua vez, para o diretor comercial da Falua, marca de vinhos do Tejo, a presença no certame “é importantíssima”, não só porque o mercado alemão “é apetecível”, mas também porque é “um ponto de encontro” para compradores do todo o mundo.

“Os vinhos do Tejo são a ‘next new big thing’ [a próxima grande novidade]. Temos os vinhos tradicionais do Douro e Alentejo, Dão e Bairrada, mas a região que está a marcar a diferença é a do Tejo, porque os vinhos têm uma frescura fantástica”, afirmou Nicolas Giannone.

Segundo o diretor comercial da Falua, os vinhos produzidos nesta região são “fáceis de beber e muito aromáticos”, começando assim a ser, cada vez mais, apreciados pelos consumidores.

Prova disso, são “as muitas reuniões” agendadas, esperando a empresa que estas se transformem em “oportunidades de negócio”.

Já para Diogo Campilho da Lagoalva, empresa de Santarém, “Portugal está, cada vez mais, na moda” e isso é um fator que distingue os vinhos portugueses entre os demais presentes da ProWein.

“A concorrência existe e é saudável. Quanto melhor for a concorrência, nós também temos que ser melhores. Depois, temos também que apresentar vinhos diferentes e únicos”, notou.

De acordo com Diogo Campilho, a presença no certame, permite criar novos contactos e “sentar à mesa vários distribuidores”, sem “ter que andar pelo mundo inteiro a ter reuniões isoladas”.

Para além da Soalheiro, da Falua e da Lagoalva, estão presentes no stand português marcas como a Adega Ponte de Lima, a Ribafreixo ‘Wines’, a Quinta do Pinto e a Quinta da Samoça.

A feira profissional do setor vinícola contou, esta manhã, com a presença do primeiro-ministro português, António Costa, do ministro da Agricultura, Capoulas Santos, bem como do secretário de Estado da Agricultura e Alimentação, Luís Medeiros Vieira.

A ProWein decorre até terça-feira e junta mais de 7.000 produtores em Dusseldorf.

Comente este artigo

O artigo Turismo e características regionais destacam vinhos portugueses em Dusseldord foi publicado originalmente em Gazeta Rural.

Anterior Exportações agroalimentares pesam quase tanto quanto as do calçado e têxtil, diz António Costa
Próximo Origem dos alimentos: proteção dos consumidores ou protecionismo? - Francesco Montanari

Artigos relacionados

Nacional

Agricultores do Baixo Alentejo querem regantes precários incluídos na área beneficiada de Alqueva

[Fonte: Agricultura e Mar]

A direcção da FAABA – Federação das Associações de Agricultores do Baixo Alentejo diz que estão em causa vários investimentos realizados pelos regantes precários da região de Alqueva. Por isso querem que as áreas já regadas a título precário sejam incluídas na área beneficiada. […]

Comunicados

A seca é alarmante em várias zonas regadas

Índice de Seca em 2016 e em 2017

Muitos agricultores ficarão em breve sem água e em alguns casos só dispõem de recursos até Agosto, pelo que as consequências podem ser muito graves.O IPMA regista que mais de 70% do território está em seca moderada. […]

Nacional

Portugal em risco elevado de escassez de àgua

[Fonte: Público]

Cerca de 17 países, que abrigam um quarto da população mundial, enfrentam uma escassez de água “extremamente elevada”, de acordo com o relatório do Instituto Mundial de Recursos, publicado esta terça-feira. A maior parte destes países estão no Médio Oriente ou no Norte de África, […]