Exportações agroalimentares pesam quase tanto quanto as do calçado e têxtil, diz António Costa

Exportações agroalimentares pesam quase tanto quanto as do calçado e têxtil, diz António Costa

O primeiro-ministro disse este domingo, em Dusseldorf, na Alemanha, que as exportações do setor agroalimentar, que estão atualmente em cerca de sete mil milhões de euros, representam quase o volume conjunto do setor do calçado e do têxtil.

“Hoje o conjunto das exportações da indústria agroalimentar já se aproxima dos sete mil milhões de euros, significa que sozinho tem quase o volume do têxtil e do calçado no seu conjunto”, disse António Costa, que falava aos jornalistas durante a visita à feira ProWein.

Para o governante, esta é “uma área de grande modernização, de grande progresso e de grande potencial” para a autonomia alimentar de Portugal, mas também “para um bom ordenamento do território e para a valorização de regiões do país onde é necessário fazermos um esforço de coesão territorial”.

António Costa destacou ainda que o setor agroalimentar foi “onde mais empresas se criaram em Portugal no ano passado e onde os salários têm, em média, um maior aumento”.

O líder do governo sublinhou que o trabalho do setor agrícola “é fundamental” para o futuro do país, com destaque para a economia.

“A economia tem ciclos e, portanto, quando há algum arrefecimento global, o que temos que fazer é aquecer os nossos motores e fazer um esforço mais acrescido”, notou.

Durante a visita, o primeiro-ministro agradeceu ainda “o trabalho que os produtores, os enólogos e os agricultores têm feito para o desenvolvimento do setor” do vinho.

“O ano passado exportamos na área do vinho cerca de 803 milhões de euros e a ViniPortugal e os produtores têm a meta de chegar aos mil milhões em 2020”, indicou o primeiro-ministro.

A ProWein, a maior feira de vinhos da Europa, que decorre entre hoje e terça-feira, conta com a presença mais de 390 produtores portugueses, 150 dos quais no ‘stand’ da ViniPortugal – associação interprofissional para a promoção internacional dos vinhos de Portugal.

Para além deste, estão também no certame ‘stands’ das várias regiões vitivinícolas nacionais – Vinho Verde, Porto e Douro, Tejo, Alentejo, Beira Interior e Bairrada.

No ano passado, o evento teve 60 mil visitantes.

Continue a ler este artigo no Açoriano Oriental.

Comente este artigo
Anterior Traders recorrem a aplicações de streaming para negociar milho chinês
Próximo Turismo e características regionais destacam vinhos portugueses em Dusseldord

Artigos relacionados

Últimas

“Agricultura tem tido pouco lugar no Parlamento”

O presidente da CAP lamenta o que diz ser a falta de conhecimento técnico no Parlamento sobre os assuntos da agricultura. […]

Últimas

Presidente da República defende investigação à situação dos trabalhadores de Odemira

O Presidente da República considerou hoje necessário investigar “o que há de ilegal” e “se há algo de criminoso” na situação dos trabalhadores agrícolas imigrantes no concelho de […]

Nacional

Dia Aberto sobre a Cultura do Arroz no Baixo Mondego – 30 de agosto – Montemor-o-Velho

O Dia Aberto sobre a Cultura do Arroz no Baixo Mondego, será realizado no dia 30 de Agosto, no Campo do Bico da Barca, […]