Trigger Systems deixou as adversárias KO e vai a Singapura representar Portugal

Trigger Systems deixou as adversárias KO e vai a Singapura representar Portugal

[Fonte: Observador]

Startup que atua na área da sustentabilidade venceu o Get In The Ring Cascais e ganhou um bilhete para representar Portugal na final mundial, que se realiza em maio, em Singapura.

Há muitas batalhas no mundo empresarial mas nem todas são tão óbvias como esta: “Ladies and gentlemen, this is a battle“. Um ringue de boxe, sete líderes de startups, um objetivo: fazer o melhor pitch (apresentação) para ganhar o bilhete para a final global do Get In The Ring, competição mundial que se realiza, de 17 a 19 de maio, em Singapura. Foram precisas cinco rounds (rondas) para decidir o vencedor.

A Trigger Systems acabou por deixar KO as seis startups adversárias com uma solução tecnológica baseada em IoT (Internet of Things) para vários sistemas aplicados na otimização de sistemas de produção solar e eólica, gestão de água, na agricultura e no ambiente, por exemplo, e que permite poupanças na ordem dos 50%. Além da presença em Singapura, a startup liderada por Francisco Manso ganhou um prémio monetário de 1.000 euros da Fundação Get In The Ring. Esta associação, criada em 2012, realiza mais de 150 eventos por ano, conectando startups com grandes empresas para resolverem problemas juntos.

 Antes da consagração do vencedor, houve vários rounds entre startups. Em competição estavam sete projetos, selecionados de um total de 17 candidaturas. Cook4Me, Cuckuu, Glexyz, NESTO, Trigger.Systems, Tripaya e DigitArena lutaram perante mais de uma centena de participantes, entre investidores, empresas, empreendedores, geeks e famílias, que ocupavam a “arena” improvisada no Centro de Congressos do Estoril ao final da tarde desta segunda-feira. O objetivo? Convencer oito jurados que o seu negócio merecia o “bilhete” para Singapura. Paulo Andrez, administrador da DNA Cascais, Adelino Matos, presidente da ANJE, Adiari Vasquez, Caixa Capital, Ana Barjasic, Global Entrepreneurship Network Portugal, Simon Schaefer, líder da Startup Portugal e os “sharks” Isabel Neves, Tim Vieira e Miguel Ribeiro Ferreira formaram o painel de jurados.

Mas o que é que procuram?

Há muitas ideias, palavras empreendedoras, mas quando se fala de clientes, tração, muitas delas estão em falta. Eu quero saber o que realmente está por trás dessas ideias”, notou Ana Barjasic. Já Adiari Vasquez foi perentória: “Estamos à procura dos gorilas e não das ovelhas. Estou à procura de startups que estejam a tentar resolver grandes problemas e que têm a equipa e a tecnologia necessária para escalar globalmente”.

 

 

Comente este artigo
Anterior Address to the Forum for the Future of Agriculture - Is the Common Agricultural Policy (CAP) fit for the SDG age?
Próximo Conclusiones de la Conferencia “Construyendo la PAC del futuro post 2020”

Artigos relacionados

Comunicados

Crédito Agrícola patrocina Feira Nacional de Hortofruticultura

CA associa-se à produção nacional de fruta
Lisboa, 14 de Agosto de 2018 – O Crédito Agrícola associa-se à maior feira de homenagem a umas das riquezas e imagens de marca da Região Oeste: a fruta. […]

Notícias PAC pós 2020

Reforma dos pagamentos comunitários em avaliação

No próximo quadro comunitário vai ser possível alocar mais dinheiro para pagamentos diretos e medidas de mercado e a reforma do sistema está em avaliação mas só próximo quadro […]

Últimas

Bruxelas prevê impacto positivo até mil ME de acordos comerciais no setor agroalimentar

Os acordos comerciais concluídos ou em negociação pela União Europeia (UE) deverão ter um impacto positivo até mil milhões de euros na balança comercial agroalimentar em 2030, segundo um estudo da Comissão Europeia hoje […]