Trânsito interditado na serra de Sintra até domingo devido ao risco de incêndio

Trânsito interditado na serra de Sintra até domingo devido ao risco de incêndio

[Fonte: Expresso]

É um destino a evitar. O trânsito na serra de Sintra vai ser interditado, entre esta sexta-feira e domingo à noite, exceto a transportes públicos e moradores, devido ao “alerta laranja” da Proteção Civil para risco de incêndio, determinou o presidente da autarquia.

“Vamos ter de tomar as medidas necessárias à concretização do ‘alerta laranja’, o qual passa pela proibição de trânsito privado num conjunto de ruas na vila de Sintra, entre as 00h00 de sexta-feira até ao final de domingo”, explicou, em declarações à agência Lusa, Basílio Horta (PS).

O presidente da autarquia explicou que a medida, adotada pela primeira vez nas vias municipais de acesso ao perímetro florestal de Sintra, visa criar as condições para prevenir qualquer risco devido às elevadas temperaturas previstas até ao fim de semana.

“Se houver um problema sério na serra temos de acorrer a um incêndio imediatamente, e não podemos fazê-lo se o trânsito se mantiver como está”, frisou Basílio Horta.

O autarca vincou que as medidas de restrição visam principalmente “o trânsito automóvel na serra”, mas o acesso continuará a ser permitido a pé ou de bicicleta.

“Só podem aceder os transportes públicos, incluindo os táxis, agora os jipes e os outros veículos turísticos não podem”, notou o autarca, acrescentando que “com temperaturas acima dos 30 graus, com a quantidade de jipes que andam na serra, é um risco” que não se pode correr.

O presidente da câmara salientou que os automobilistas podem deixar as viaturas nos parques de estacionamento da zona da Portela de Sintra e da Cavaleira, junto ao Itinerário Complementar (IC) 16, e recorrer aos transportes públicos, uma vez que a restrição será controlada pela Polícia Municipal e pela GNR.

No despacho do presidente da câmara, após uma reunião da Proteção Civil municipal, determina-se que, desde as 00h00 de 31 de maio às 23h59 de 2 de junho, “é interdito o trânsito nas vias municipais que integram o perímetro da serra de Sintra”.

De fora da proibição ficam os “veículos de moradores e de empresas” ali sedeadas, “transportes públicos de passageiros, veículos de socorro, de emergência e das entidades integrantes do Sistema Municipal de Proteção Civil”.

A medida decorre de uma metodologia aprovada hoje pelo executivo municipal, segundo a qual “quando a autoridade competente de Proteção Civil emitir um ‘alerta laranja’ para o distrito de Lisboa, o presidente da Câmara pode determinar a interdição do trânsito nas vias municipais que integram o perímetro da serra”.

Os principais acessos condicionados situam-se nas ligações ao Largo Sousa Brandão, entroncamento da Rua Santa Eufémia, Estrada Nacional (EN)375, cruzamento do Convento dos Capuchos, entroncamento do Caminho dos Moinhos com EN247-3, entroncamento da Estrada Peninha com EN247 e estrada florestal limite no concelho de Sintra junto ao cruzamento da Portela.

Assim, no uso das competências como autoridade municipal de Proteção Civil, em articulação com o previsto no Código da Estrada, Basílio Horta determinou a comunicação da decisão ao comando distrital de operações de socorro (CDOS), forças de segurança e bombeiros, Instituto de Conservação da Natureza e Florestas (ICNF) e sociedade Parques de Sintra-Monte da Lua.

No despacho nota-se que toda a mancha florestal da serra de Sintra “se encontra classificada como Património da Humanidade pela UNESCO”, desde 1995, o que “implica compromissos de conservação e proteção do património”.

A decisão decorre de uma declaração, pela Autoridade Nacional de Emergência e Proteção Civil, da passagem “ao estado de alerta especial laranja nos distritos de Beja, Castelo Branco, Évora, Faro, Leiria, Lisboa, Portalegre, Santarém e Setúbal”, face às previsões meteorológicas que apontam para “um significativo agravamento do risco de incêndio florestal”.

Comente este artigo

O artigo Trânsito interditado na serra de Sintra até domingo devido ao risco de incêndio foi publicado originalmente em Expresso.

Anterior Fito-Entrevista a José Miguel Mulet no âmbito do Fórum Smart Farm 2019
Próximo Hoy finaliza el plazo para cumplir con algunos requisitos de las ayudas directas

Artigos relacionados

Nacional

Valorização das pastagens é “enorme mais valia” para a agricultura nos Açores

[Fonte: Vida Rural]

A valorização das pastagens constitui uma enorme mais valia para a redução de custos nas explorações açorianas e para a sustentabilidade ambiental e é uma vantagem competitiva que as indústrias devem valorizar. As palavras são do secretário regional da Agricultura e Florestas dos Açores, […]

Nacional

Reforma da floresta ignora associações de proprietários florestais

[Fonte: Público]
Críticas feitas por vários representantes destas associações que participaram no Conselho Florestal Nacional.
A reforma da floresta ignora o papel das associações de proprietários florestais. A crítica foi expressa esta quarta-feira por vários representantes destas organizações que participaram no Conselho Florestal Nacional, […]

Dossiers

Incentivos à Inovação Produtiva: um sprint final até aos 501 milhões

[Fonte: ECO]
O financiamento total previsto no âmbito deste aviso é de 501 milhões de euros. Um valor recorde que certamente irá potenciar o investimento empresarial em atividades de inovação.

No âmbito do Portugal 2020, estão a decorrer, até ao dia 15 de março, […]