Syngenta cresce acima do mercado português nos fitofármacos

Syngenta cresce acima do mercado português nos fitofármacos

O mercado nacional de produtos fitofarmacêuticos cresceu 2,6% em 2017, mas a Syngenta superou este resultado, com um crescimento de 10,2%, sustentado pelo bom desempenho dos inseticidas e dos fungicidas. A ambição da empresa é reforçar a sua quota de mercado em Portugal, contando para isso com um pipeline de produtos “revolucionários”.

Reunião distribuidores, Aveiro.

«A Syngenta obteve um resultado excecional em Portugal no ano passado, um dos melhores de todas as regiões da Iberia», afirmou Javier Bardón, responsável comercial da Syngenta para a a Península Ibérica, durante a reunião de lançamento da campanha 2018, realizada em Aveiro, a 2 de Março, onde esteve presente com toda a sua rede de distribuidores.

Destaca-se o crescimento assinalável das vendas da Syngenta no segmento dos inseticidas e dos fungicidas, que veio reforçar a posição da empresa no mercado nacional, num ano agricola que foi dos mais difícies da última década e meia, devido ao fenómeno da seca. «Ainda assim, graças à diversidade do nosso portfólio e ao trabalho de parceria com a nossa distribuição, fomos capazes de entregar bons resultados em 2017», acrescentou Javier Bardón, considerando que em 2018 «é nas culturas especializadas (olival, vinha, fruticultura), onde os agricultores estão a obter boas rentabilidades, que antevemos maior segurança no mercado».

Nos últimos três anos, a Syngenta cresceu 9% no mercado nacional, tanto no negócio da proteção das culturas, como no negócio das sementes hortícolas. «Temos firmeza nas ideias, segurança na capacidade da distribuição e solidez na equipa da Syngenta, são esses os nossos trunfos para o futuro», revelou Paulo Machado, diretor comercial da Syngenta em Portugal.

Reunião distribuidores, Aveiro.

O elevado investimento da Syngenta no desenvolvimento de novas moléculas e na formulação de novos produtos comerciais – 1.300 mil milhões de euros/ano – é a trave mestra para a empresa continuar a liderar o mercado em inovação. «Vamos revolucionar o mercado europeu dos fungicidas nos próximos 3 a 4 anos, lançando produtos formulados com base em moléculas de nova geração, que controlam diversas doenças causadas por fungos, em várias culturas agrícolas e em sementes, através de um novo modo de ação, sem resistências cruzadas com outros produtos», revelou Fran Quiroga, responsável pelo portfólio da Syngenta na Península Ibérica.

A curto prazo, a Syngenta lançará, ainda em 2018, o Affirm Opti, uma nova formulação do conhecido inseticida Affirm, especificamente estudado para controlo de lepidópteros em fruteiras; bem como o Carial Top, uma nova solução para o controlo do míldio e da alternaria nas culturas do tomate e da batata.

Reunião distribuidores, Aveiro.

Reunião distribuidores, Aveiro.

Comente este artigo
Anterior Agrobio promove Ciclo de Encontros Regionais de Agricultores Biológicos
Próximo La CE crea un centro para la calidad y la lucha contra el fraude alimentario

Artigos relacionados

Sugeridas

Porque é que a ministra da Administração Interna se deve demitir

[Fonte: Expresso]
Perante a maior tragédia que aconteceu em Portugal devido aos incêndios de Verão, a pergunta que se coloca é se não há suficientes responsabilidades políticas e civis que levem a demissões. E falo concretamente e em primeiro lugar da ministra da Administração Interna, […]

Últimas

BE quer mudar estrutura governamental para juntar prevenção e combate

[Fonte: Público]

A coordenadora do BE, Catarina Martins, defendeu a necessidade de mudar a estrutura governamental para juntar a prevenção ao combate aos incêndios, esperando que o Governo “tire responsabilidades” no Conselho de Ministros de sábado.

“Eu julgo que é difícil alterarmos o paradigma de protecção civil e de defesa da floresta sem mexermos na estrutura governativa”, […]

Nacional

Conferência “Vinho com moderação” em Torres Vedras

[Fonte: Gazeta Rural]

Compartilhar no Facebook
Tweet


No próximo dia 8 de julho, tem lugar em Torres Vedras uma ação de sensibilização para o consumo moderado de vinho, promovida pela Associação das Rotas do Vinho de Portugal (ARVP), através da adesão ao programa “Vinho com Moderação, […]