Silves recebeu a 3.ª Mostra da Laranja

Silves recebeu a 3.ª Mostra da Laranja

Agricultura, gastronomia, artesanato e animação. Estes foram os ingredientes da 3.ª Mostra Silves Capital da Laranja, que decorreu nos dias 15, 16 e 17 de Fevereiro, na Fissul, em Silves.

Com entrada gratuita, o evento, promovido pela Câmara Municipal de Silves, contou com a presença de várias dezenas de expositores ligados à citricultura, vinhos, agricultura, produtos regionais, doçaria, artesanato e gastronomia, bem com algumas associações e entidades locais e regionais.

Houve ainda espaço para a realização de um ciclo de conferências, onde especialistas nacionais e estrangeiros analisaram e debateram o presente e o futuro da fileira dos citrinos.

Uma das apresentações foi feita pela recém-criada AlgarOrange, a associação que congrega operadores de citrinos do Algarve.

Os cocktails também regressaram ao eventio, com a realização do “Festival de Barmen Silves Capital da Laranja”. Destaque, ainda, para a conhecida e habitual marcha dos Namorados, actividade desportiva que integra o calendário de marcha-corrida do Algarve e que fez parte do programa do evento.
Esta iniciativa da Câmara contou com a parceria da Direcção Regional de Agricultura e Pescas do Algarve, Universidade do Algarve, Região de Turismo do Algarve, Agrupamento de Escolas de Silves e Agrupamento de Escolas Silves-Sul.

A propósito deste evento, falámos com Rosa Palma, presidente da Câmara Municipal de Silves. «É um evento de extrema importância. O principal objectivo é promover o nosso território com algo emblemático, neste caso a nossa laranja. Não é a toa que o concelho de Silves é o maior produtor de citrinos, representando 60% da produção nacional. Por isso, quisemos evidenciar a nossa região com aquilo que nos identifica. Ao promovermos esta mostra, que já vai na terceira edição, pretendemos dar a conhecer às pessoas não só a própria laranja, mas também outros produtos associados, tudo num ambiente mais informal, com música, a produção representada, bem como outros parceiros e com a realização de conferências sobre algumas problemáticas associadas à fileira. Enfim, trata-se de um conjunto de ofertas para várias gerações, num ambiente de convívio e familiar, e que põe a laranja no centro das atenções».

Notícias relacionadas

Comente este artigo

O artigo foi publicado originalmente em Revista Frutas Legumes e Flores.

Anterior Maia testa alternativas à monda química
Próximo AgriEmpreende: Candidaturas para o quarto e último Concurso de Ideias de Negócio do projeto AgriEmpreende arrancam na próxima semana

Artigos relacionados

Últimas

Comité de Agricultura do PE aprova parecer de iniciativa sobre mecanismos para volatilidade de mercados

O parecer constata que os mecanismos atuais são insuficientes para combater a volatilidade dos mercados. Apela à CE que use os atuais mecanismos de gestão de risco ao seu máximo, […]

Últimas

Valorização das pastagens é “enorme mais valia” para a agricultura nos Açores

A valorização das pastagens constitui uma enorme mais valia para a redução de custos nas explorações açorianas e para a sustentabilidade ambiental e é […]

Últimas

ACOS e seus associados disponíveis para cedência de equipamentos de desinfeção da via pública

Tendo em conta a necessidade de conter o mais possível a expansão da pandemia da Covid-19 e a importância de cada um se assumir como agente […]