Relatório analisa necessidades financeiras nos setores agrícola e agroalimentar em Portugal

Relatório analisa necessidades financeiras nos setores agrícola e agroalimentar em Portugal

A FI-Compass, da União Europeia, plataforma de serviços de consultoria em instrumentos financeiros no âmbito dos Fundos Europeus Estruturais e de Investimento (ESIF), produziu e publicou o relatório “Necessidades financeiras nos setores agrícola e agroalimentar em Portugal”, que faz parte de uma série de relatórios de 24 países, onde apresenta uma avaliação das lacunas de financiamento para os setores agrícola e agroalimentar em Portugal.

O estudo analisa a atual oferta e demanda de financiamento nos dois setores e quantifica a demanda de crédito não atendida. O presente relatório por país visa apoiar as autoridades de gestão do FEADER no planeamento e programação da utilização de instrumentos financeiros nos seus planos estratégicos da PAC para o período de programação 2021-2027.

Aceda ao documento (pdf).

O artigo foi publicado originalmente em Rede Rural Nacional.

Comente este artigo
Anterior PSD quer ouvir na AR gestora afastada do Programa de Desenvolvimento Rural
Próximo Ministra da Agricultura participa no último Conselho de Ministros da Agricultura presidido pela Croácia

Artigos relacionados

Últimas

Protocolo de Colaboração entre a Bolsa Nacional de Terras e a Bolsa de Terras de Vagos

[Fonte: GPP]
A Bolsa Nacional de Terras estabelece protocolo com a Bolsa de terras de Vagos, entre a Entidade Gestora da Bolsa de terras (DGADR) e o Município de Vagos, […]

Últimas

Nuno Russo: “o sucesso do setor vitivinícola representa um contributo para o crescimento nacional”

O Secretário de Estado da Agricultura e do Desenvolvimento Rural, Nuno Russo, participou ontem na cerimónia de entrega de Prémios “Os Melhores […]

Últimas

“Perdemos tudo.” Sem casa e trabalho, Luís Dias faz greve de fome frente ao Palácio de Belém

O processo que entrou há quatro anos e meio no Ministério Público, na sequência da perda da quinta de produção de Amoras em Idanha-a-Nova, ainda não recebeu resposta. […]