Regiões Ultra-periféricas reforçam apoios junto do Parlamento Europeu

O secretário Regional Adjunto da Presidência para as Relações Externas dos Açores manifestou hoje, 19 de Novembro, em Bruxelas, satisfação pelo apoio recebido pelas Regiões Ultra-periféricas (RUP) por parte das forças políticas da Comissão de Desenvolvimento Regional do Parlamento Europeu.

“Hoje vimos aqui na Comissão REGI do Parlamento Europeu um grande apoio, um magnífico apoio, um alargado apoio de todas as forças políticas que estão nesta Comissão de Desenvolvimento Regional do Parlamento Europeu para a posição das Ultra-periféricas, no sentido de não haver cortes no Quadro Financeiro e também de valorizar as Regiões Ultra-periféricas”, afirmou Rui Bettencourt.

O secretário Regional falava aos jornalistas no final de uma reunião dos Presidentes das RUP com o presidente da Comissão de Desenvolvimento Regional do Parlamento Europeu, Younous Omarjee, em que participou em representação do Presidente do Governo, Vasco Cordeiro.

“Momentos históricos”

Para o titular da pasta das Relações Externas, estão a viver-se e a fazer-se “momentos únicos, porventura históricos, na construção da União Europeia e da importância que têm as Ultra-periféricas para a União Europeia”.

“O que nós estamos a viver nestes dias tem a ver com o reconhecimento das Regiões Ultra-periféricas e tem a ver também com o reconhecimento da estratégia que os Açores têm colocado para que os Açores e as Ultra-periféricas sejam reconhecidas, sejam valorizadas e também na preparação deste momento único do quadro financeiro plurianual que tanto condiciona a nossa vida, que representa mais de mil milhões de euros para os Açores, para investir no nosso desenvolvimento e no nosso progresso”, frisou o governante.

Rui Bettencourt salientou o facto de as Regiões Ultra-periféricas terem seguido, aprovado e apoiado a abordagem açoriana, mostrando-se satisfeito por isso porque, “nessa abordagem açoriana, que foi consensualizada internamente, há também uma consequência externa porque os presidentes das Ultra-periféricas reconheceram que esta posição era uma boa posição, de firmeza e de consensualização”.

Negociações

“Tudo o que aconteceu aqui, também agora na Comissão REGI do Parlamento Europeu, dá-nos razão e também valoriza e nos dá uma grande força para as negociações que estão a acontecer e que vão continuar até ser aprovado definitivamente o Quadro Financeiro para 2021/2027”, afirmou.

“Mais do que esse Quadro Financeiro, a questão fundamental que está aqui é que as Regiões Ultra-periféricas estão a ser reconhecidas e estão a ser reconhecidas com base numa estratégia que os Açores têm colocado, de há mais de dois anos para cá, de valorização dessas regiões, de afirmação, com firmeza, e de consenso interno e externo”, disse o secretário Regional.

Durante este encontro, os presidentes das RUP entregaram ao presidente da Comissão de Desenvolvimento Regional uma declaração conjunta firmada segunda-feira, contendo as principais preocupações e reivindicações das Regiões Ultra-periféricas no actual momento que se vive na Europa, muito em particular as negociações do futuro Quadro Financeiro Plurianual.

Agricultura e Mar Actual

Comente este artigo

O artigo foi publicado originalmente em Agricultura e Mar.

Anterior Ponte de Lima organiza 1.ª Conferência Internacional sobre Sidras e Bebidas do Pomar - 29 de novembro
Próximo Tejo. Ministro do Ambiente afasta cenário de aumento da quantidade de água que vem de Espanha

Artigos relacionados

Últimas

Ministério do Ambiente ganha tutela da floresta

[Fonte: Jornal de Negócios] As florestas deixam a alçada do Ministério da Agricultura para passarem para a do Ambiente, […]

Últimas

Zero exige suspensão de subsídios às centrais de biomassa do Fundão e Viseu

A associação ambientalista Zero exigiu hoje ao Governo a suspensão da “atribuição de subsídios” às novas centrais elétricas que utilizam biomassa, […]

Nacional

“É agora mais difícil aos produtores entrarem numa OP”

José Oliveira, CACIAL
A CACIAL perdeu a condição de Organização de Produtores que sustentou durante muitos anos. O Facto ficou a dever-se ao aumento do seu volume de negócio de 2017 para 2018, […]