Portugal acolhe pela primeira vez o concurso internacional de gastronomia

Portugal acolhe pela primeira vez o concurso internacional de gastronomia

Pela primeira vez em Portugal, o congresso internacional de jovens chefes realiza-se na região do minho. A variedade e riqueza gastronómica minhota foram fatores decisivos para a escolha da realização do evento no nosso país em 2020.

Portugal é o próximo país a receber o concurso internacional European Young Chef Awards (EYCA). O Minho foi a região europeia escolhida para acolher o concurso que irá reunir os melhores jovens chefes de toda a Europa e especialistas internacionais de gastronomia. O anúncio foi comunicado em em Rhodes, na Grécia, pela presidente do International Institute of Gastronomy, Art and Tourism(IGCAT), Diane Dodd.

O evento incentiva os jovens chefes a apresentar as receitas tradicionais e inovar os pratos das regiões apenas com ingredientes locais de cada país. Cada participante tem que escolher uma receita familiar e usar apenas alimentos locais e saudáveis, apoiando-se em agricultores e produtores locais das suas regiões. “ Fazia todo o sentido escolhermos o Minho. Pela sua cultura gastronómica, mas pela sua capacidade de transformação dos últimos anos de adaptar as receitas tradicionais em pratos inovadores”, referiu Diane Dodd.

Conhecida como a região verde de Portugal, a terra do bacalhau à minhota, das papas de sarrabulho, dos rojões, do cozido à portuguesa e do caldo verde, o Minho apresenta um grande potencial, com uma gastronomia muito própria, onde se usam os produtos endógenos, originários da terra e do mar e que dentro do processo de produção detém características especiais. “É uma das regiões mais tradicionais da Europa. Ao mesmo tempo, inspira estes jovens chefes a criarem novas interpretações das suas receitas, com os bons produtos, a variedade de vegetais, os animais que têm. Queremos mostrar e celebrar isso. O EYCA será uma oportunidade para manter a cultura minhota viva”, acrescentou.

A eleição do Minho é fruto de um trabalho da região nos últimos anos. Depois de em 2016 ter ganho o prémio Região Europeia da Gastronomia, a região acolheu o primeiro Congresso Internacional de Gastronomia e Património Cultural em 2018 e tem realizado uma série de eventos para realçar as diferentes culturas e tradições gastronómicas, através da promoção da sustentabilidade e da inovação gastronómica da região.

O evento irá decorrer no final de 2020 no Minho e organização será da responsabilidade do Consórcio Minho Inovação – que integra as três Comunidades Intermunicipais do Alto Minho, Cávado e Ave. “É com muito orgulho que vamos receber em 2020 o evento que preserva a gastronomia tradicional europeia. Somos uma região com raízes muito fortes e acho que isso pesou na decisão do IGCAT”, comenta Joana Peixoto do Consórcio Minho Inovação.

A quinta edição do EYCA pretende discutir a importância da herança gastronómica como motor da economia regional, cada vez mais voltada para o turismo sustentável e produção local. “É a primeira vez que o nosso país recebe o evento desta importância.O Minho é sabor, é alma, é rústico, mas com pleno sabor. Queremos mostrar uma região autêntica mas também vanguardista”, acrescenta Rafael Oliveira, um dos membros da organização.

O embaixador oficial do EYCA é o famoso chef Joan Roca, dono do restaurante El Celler de Can Roca com três estrelas Michelin em Girona e na lista do The World’s 50 Best Restaurants.

O artigo foi publicado originalmente em Gazeta Rural.

Comente este artigo
Anterior Governo quer criar Provedor do Animal e controlar as espécies exóticas invasoras
Próximo Novo Tomate YOOM ™ desenvolvido pela Syngenta

Artigos relacionados

Cotações ES

Una demanda más activa mantiene altos los precios de los huevos

En huevos se ha seguido con la misma tendencia de semanas anteriores, es decir, los precios han oscilado entre repeticiones y subidas, […]

Revistas

PDR 2020 abre novo aviso para investimentos na fruticultura no primeiro semestre de 2019 – Suplemento AgroVida de Dezembro da Vida Económica

O Ministério da Agricultura, Florestas e Desenvolvimento Rural (MAFDR) desmente atrasos na análise das candidaturas ao Programa de Desenvolvimento Rural (PDR 2020), […]

Últimas

Agricultura madeirense cresceu 18% em 2018

A agricultura da Madeira registou um crescimento de 18% em 2018. De acordo com o JM Madeira, os números foram avançados pelo presidente do Governo Regional, […]