O que tem um trabalhador agrícola imigrante em Portugal a ver com as alterações climáticas?

O que tem um trabalhador agrícola imigrante em Portugal a ver com as alterações climáticas?

A exploração abusiva no sector agrícola não se verifica apenas na relação entre o proprietário e o trabalhador, mas também no uso que o proprietário faz do solo.

Estima-se que trabalhem actualmente nas regiões do Algarve e do Alentejo cerca de 30 mil trabalhadores agrícolas imigrantes. Deste valor, sabe-se que 12 mil trabalham em Beja, segundo dados do Serviço de Estrangeiros e Fronteiras. Na diferença entre os valores oficiais e os estimados, sabe-se, ainda, que muitos deles escapam à realidade burocrática pois correspondem a chegadas ilegais e clandestinas ao país. Estes números revelam a crescente dependência do sector agrícola português na força laboral dos imigrantes. Situação que concorre, aliás, com os restantes países da União Europeia.

Mas o que têm estes trabalhadores agrícolas imigrantes a ver com as alterações climáticas? Bom, para o entender é necessário começar pelas condições laborais que estes trabalhadores do sector agrícola português enfrentam.

Segundo declarações de José Alberto Guerreiro, presidente da Câmara Municipal de Odemira, em Março de 2020, este concelho da costa alentejana alberga cerca de 10 mil trabalhadores agrícolas, muitos

Continue a ler este artigo no Público.

Comente este artigo
Anterior Publicado despacho que identifica as 1002 freguesias prioritárias para a fiscalização da gestão de combustível
Próximo Pelo menos 25% dos alimentos são deitados fora. Inovação é a chave para combater desperdício

Artigos relacionados

Blogs

Dizem que é exagero

“Uma fonte ligada à Proteção Civil, que pediu anonimato, explicou ao i que pode, de facto, existir alguma desproporcionalidade possivelmente causada pelo receio acrescido no atual momento de pandemia – […]

Últimas

Breve história da produção de leite na mundo

A domesticação de animais
“O processo de domesticação animal iniciou-se, de acordo com evidências arqueológicas, há mais de 30.000 anos. […]

Nacional

Qual o papel da água no desenvolvimento rural e planeamento do território?

É já nos próximos dias 6 e 7 de novembro que a Fenareg e a Associação de Beneficiários do Mira realizam, […]