“O que aconteceu? Isto é democracia”, diz Von der Leyen

“O que aconteceu? Isto é democracia”, diz Von der Leyen

A presidente da Comissão Europeia, Ursula Von der Leyen, justificou o falhanço das negociações sobre o orçamento plurianual para 2021-2017, para o qual é necessário “trabalho árduo”, com “a democracia”, falando em “27 diferentes interesses” dos Estados-membros.

“Perguntam o que aconteceu. Então, isto é democracia. Temos 27 Estados-membros, com 27 diferentes interesses, mas todos estamos a trabalhar num objetivo comum que é a UE e o orçamento europeu para os próximos anos”, afirmou a líder do executivo comunitário, falando em conferência de imprensa, em Bruxelas, após o fim da cimeira.

Segundo Ursula Von der Leyen, “é uma boa tradição em democracia debater as diferentes visões, as diferentes ênfases e necessidades apontadas pelos diferentes Estados-membros, no que toca às políticas de coesão, agricultura ou relativamente às novas prioridades”.

“Temos de trabalhar arduamente para prosseguir”, apelou.

O Conselho Europeu extraordinário em Bruxelas consagrado ao orçamento plurianual da União para 2021-2027 terminou sem acordo, apenas cerca de 20 minutos após os líderes se terem sentado novamente à mesa para discutir a nova proposta, revelaram fontes europeias.

Iniciada na quinta-feira à tarde, a cimeira foi interrompida ao início da noite, sucedendo-se desde então múltiplas reuniões bilaterais, madrugada dentro e ao longo do dia de hoje, e ao fim de praticamente 24 horas os chefes de Estado e de Governo voltaram a juntar-se na mesma sala para apreciar uma proposta revista apresentada pelo presidente do Conselho Europeu, Charles Michel.

O artigo foi publicado originalmente em ECO.

Comente este artigo
Anterior Governo salvaguarda o valor máximo elegível nas operações relativas à elaboração de estudos e projetos
Próximo Parlamento Europeu “desapontado com fracasso” no orçamento

Artigos relacionados

Últimas

Vigilantes da natureza. “O nosso sonho é ter um corpo nacional com efetivos suficientes”

Estão na linha da frente da prevenção de incêndios, mas dizem-se “abandonados” pelos sucessivos Governos. À Renascença, o presidente da Associação Portuguesa de Guardas e Vigilantes da Natureza critica as poucas vagas existentes para aceder à […]

Últimas

COMISSÃO JUSTIÇA E PAZ DA ARQUIDIOCESE DE ÉVORA PREOCUPADA COM O DESPOVOAMENTO E A MIGRAÇÃO NO ALENTEJO

A nomeação desta comissão tem como objetivo principal assessorar e aconselhar o Arcebispo de Évora, sobre assuntos relacionados com a justiça e a paz que ocorram fundamentalmente dentro da área geográfica correspondente à […]

Sugeridas

Sr. Reitor, onde está a ação climática da Universidade de Coimbra? – Paulo Canaveira

A abordagem escolhida é contra-produtiva por ser simplificadora, tecnicamente incorrecta e socialmente injusta, ao “condenar” moralmente até os produtores com as melhores práticas e que contribuem positivamente para a descarbonização. […]