Nuno Banza é o novo presidente do ICNF

Nuno Banza é o novo presidente do ICNF

O até aqui inspetor-geral do Ambiente assumiu esta terça-feira o novo cargo à frente do Instituto de Conservação da Natureza e das Florestas, substituindo Rogério Rodrigues

Nuno Banza, que ocupava o cargo de Inspetor-Geral da Agricultura, Mar, Ambiente e Ordenamento do Território (IGAMAOT) desde maio de 2014, assumiu esta terça-feira a presidência do Instituto de Conservação da Natureza e das Florestas, apurou o Expresso. O engenheiro do Ambiente, doutorando em Alterações Climáticas e Políticas de Desenvolvimento Sustentável, substitui o engenheiro florestal Rogério Rodrigues.

No novo conselho diretivo do ICNF — que passou a instituto de regime especial com a lei orgânica publicada a 29 de março — mantêm-se Paulo Salsa (gestor) como vice-presidente e Nuno Sequeira (engenheiro florestal fica com a área dos incêndios rurais), Sandra Sarmento (arquiteta paisagista, fica com a região Norte) e Rui Pombo (engenheiro florestal, passa a tutelar a região de Lisboa e Vale do Tejo). A estes vogais regionais juntam-se Teresa Fidélis (doutorada em ciências do Ambiente que fica com o Centro), Olga Martins (especialista em recursos hídricos que fica com o Alentejo) e Castelão Rodrigues (engenheiro zootécnico que passa a tutelar o Algarve).

Ao que o Expresso apurou, a nova orgânica “aposta na desconcentração territorial, com o reforço das direções regionais e uma aposta na cogestão das áreas protegidas em articulação com as autarquias e outras entidades locais ou regionais, assim como novas atribuições de combate aos incêndios rurais, consignadas no sistema de gestão integrada de fogos rurais (SGIFR)”.

Recorde-se que durante a presidência de Rogério Rodrigues, o ICNF foi multado pela Guarda Nacional Republicana (GNR) por ter falhado os prazos de limpeza da Mata Nacional de Leiria e as respetivas faixas de proteção rodoviária em 2018. O ICNF foi então alvo de várias contraordenações por ter violado as normas do Sistema Nacional de Defesa da Floresta Contra Incêndios.

O artigo foi publicado originalmente em Expresso.

Comente este artigo
Anterior Prospectores internacionais visitam Alqueva
Próximo Grupo de investigadores prova que oliveiras portuguesas são tão produtivas quanto as estrangeiras que proliferam no Alentejo

Artigos relacionados

Nacional

Autoridade para as Condições de Trabalho adotou mais de 300 procedimentos inspetivos

Em janeiro, a ACT realizou 244 ações inspetivas em empresas que registaram acidentes de trabalho mortais ou graves em 2016 – […]

Nacional

Insolvências sobem pela primeira vez desde 2013

Pela primeira vez desde 2013, as insolvências estão a aumentar. Em janeiro, de acordo com os dados da Informa D&B, o número de insolvências cresceu 18,6%, […]

Notícias mercados

Covid-19: Agricultores admitem impactos nas exportações, mas não estão preocupados

O presidente da Confederação dos Agricultores de Portugal (CAP) manifestou esta segunda-feira “alguma apreensão” devido ao novo coronavírus (Covid-19), […]