Novas ações de sensibilização no Mercado Municipal de Proença-a-Nova nos dias 8 e 22 de Agosto

Novas ações de sensibilização no Mercado Municipal de Proença-a-Nova nos dias 8 e 22 de Agosto

O Município de Proença-a-Nova dinamizou esta quinta-feira, 25 de julho, a primeira de três ações de sensibilização junto dos clientes do Mercado Municipal para que reduzam a utilização de sacos de plástico e reutilizem sacos produzidos noutros materiais, como o de pano que foi oferecido. Na porta principal deste espaço estava, literalmente, montado um estendal, com a ajuda de um stand ambulante, pintado de verde e amarelo, que suscitava interesse e motivava o início da conversa sobre a importância de reutilizar sacos e reduzir o uso do plástico para “um planeta com futuro”. No folheto distribuído, davam-se igualmente importantes dicas que cada um pode seguir para um presente mais sustentável, por exemplo a compra de produtos a granel, da época e da região, a reciclagem correta de produtos ou até a participação em brigadas de limpeza para a recolha de resíduos deixados na natureza.

João Lobo, presidente da Câmara Municipal de Proença-a-Nova, considera importante repensar as atuais tendências de consumo, não só reduzindo o consumo de plástico, mas introduzindo o conceito de economia circular para que os resíduos de uns se tornem matérias-primas de outros. “A utilização dos recursos até à sua extinção fazia parte da vivência dos nossos avós, em que a reutilização do vestuário, a compostagem com estrume e a dificuldade em aceder a determinados recursos se traduziu numa economia que ela própria tinha o conceito de circularidade sem ao tempo serem exploradas estas formas de pensamento”, refere. Na sua perspetiva, cuidar do planeta é responsabilidade individual que se traduz em ações concretas no dia-a-dia. “Se os clientes que hoje receberam os sacos de pano os voltarem a trazer das próximas vezes que vierem ao Mercado Municipal, já estão a fazer a sua parte. Se a isso se juntarem outras atitudes, certamente que o impacto será bem maior”.

O Centro Ciência Viva da Floresta participou nestas ações de sensibilização, tendo apresentado a atividade “Jardim das Aromáticas”. Os participantes foram convidados a construir um pequeno vaso a partir de garrafas de plástico e sistema de irrigação feito com tiras de algodão, colocando depois uma das sementes disponíveis: salsa, coentros ou calêndulas. As crianças do pré-escolar, que visitaram o Mercado Municipal, acabaram por participar nesta atividade, aprendendo a reutilizar. Nas próximas ações, agendadas para dia 8 e dia 22 de agosto, as propostas a desenvolver são o Minhocário (fazer um vermicompostor doméstico a partir de garrafões PET usados) e as Velas Ecológicas (a partir de óleos alimentares usados e latas de refrigerante serão fabricadas velas aromatizadas com óleos essenciais).

Estas iniciativas surgem como complemento à candidatura que o Município realizou ao programa “Logística descarbonizada e economia circular para mercados tradicionais de frescos”, apoiada pelo Fundo Ambiental, do Ministério do Ambiente e Transição Energética, no âmbito da qual já foram realizadas outras ações de sensibilização.

O artigo foi publicado originalmente em Gazeta Rural.

Comente este artigo
Anterior Governo dos Açores pretende certificação oficial do leite de pastagem
Próximo EDIA implementa medidas de combate à seca climatérica

Artigos relacionados

Últimas

Roteiro para a Neutralidade Carbónica publicado hoje em Diário da República

[Fonte: O Jornal Económico]

O Conselho de Ministros aprovou, no mês passado, roteiro para Portugal ser carbonicamente neutro em 2050. […]

Últimas

Apoios para aquicultura registam 26 candidaturas com 35 milhões de investimento

O concurso, no âmbito do programa Mar 2020, para apoios ao investimento na aquicultura registou 26 candidaturas, a maioria do Algarve, […]

Últimas

Incêndios: área ardida este ano inferior em 26% em relação a 2018

A área ardida em Portugal é este ano inferior em 26% à de 2018 e 42% em relação à média dos últimos dez anos, […]