Ministra da Agricultura adjudicou 515 mil euros a filho de deputado do PS

Ministra da Agricultura adjudicou 515 mil euros a filho de deputado do PS

Maria do Céu Albuquerque fez seis ajustes diretos a empresa de filmes do filho de Pedro Bacelar Vasconcelos.

Quando em novembro de 2014 o novo Secretariado Nacional do PS foi eleito no congresso do partido, duas das novidades (e eram muitas porque os apoiantes de António José Seguro, antigo líder, foram “varridos”) eram Pedro Bacelar de Vasconcelos e Maria do Céu Albuquerque. De acordo com o que avança a revista Sábado, este foi o congresso da subida a líder de António Costa. Bacelar e Albuquerque seriam colegas neste órgão até 2016, quando o constitucionalista saiu.

Nesta altura, finais de 2014, Maria do Céu Albuquerque – que foi esta semana indigitada Ministra da Agricultura e que foi presidente da câmara de 2009 a 2019 – já tinha feito dois contratos com a empresa do filho do deputado do PS, a OSTV, Lda. Haveria mais quatro assinados, em 2015, 2016, 2017 e 2018.

Comente este artigo

O artigo foi publicado originalmente em Correio da Manhã.

Anterior Produtores envolvidos em plano de ação para as alterações climáticas
Próximo Alentejo "Fora da Caixa". Com um pé em Portugal e o outro em Espanha

Artigos relacionados

Nacional

Governo destaca capacidade do setor agrícola para atrair investimento

[Fonte: Governo] O Secretário de Estado das Florestas e do Desenvolvimento Rural, Miguel
João de Freitas, afirmou que o investimento que uma empresa luso-brasileira
está a realizar nos concelhos do Fundão e de Idanha-a-Nova «mostra a capacidade
que Portugal tem de atrair investimento estrangeiro». […]

Dossiers

Produção de azeitona para azeite deve registar quebra de 20% nesta campanha

A produção de azeitona para azeite deverá registar este ano uma quebra de 20% face à campanha anterior, penalizada pelas condições meteorológicas adversas, […]

Últimas

Vítimas de incêndios de Outubro põem Estado em tribunal

O movimento de apoio às vítimas deu entrada de uma acção popular contra o Estado com uma acusação de “negligência”. Querem uma reparação por danos a “milhares de pessoas” e empresas. […]