Governo só tem 97 candidaturas às verbas de 615 milhões do PRR para as florestas

Governo só tem 97 candidaturas às verbas de 615 milhões do PRR para as florestas

Em Pampilhosa da Serra, António Costa deixou um “grande apelo coletivo: Precisamos de mais, mais autarcas a mobilizarem-se nesta batalha”.

O primeiro-ministro António Costa revelou esta segunda-feira que até agora o Governo recebeu apenas 97 candidaturas às verbas de 615 milhões disponíveis no Plano de Recuperação e Resiliência para a área das Florestas. Em Pampilhosa da Serra, onde esteve presente numa cerimónia de assinatura dos protocolos para as primeiras Áreas Integradas de Gestão da Paisagem (AIGP), deixou um “grande apelo coletivo: Precisamos de mais, mais autarcas a mobilizarem-se nesta batalha”.

“Em Lisboa podemos desenhar os planos, desenhar os meios, mas não podemos estar no terreno a transformar cada centímetro de terra. Aí, só o poder local democrático, as pessoas”, disse o primeiro-ministro.

O Governo celebrou os contratos-programa de 47 Áreas Integradas de Gestão da Paisagem (AIGP), que abrangem quase 100 mil hectares de intervenção, em 26 concelhos, com o intuito de tornar o território mais resiliente aos incêndios.

As 47 AIGP têm uma média de dois mil hectares cada uma e estima-se que estejam abrangidos pelo projeto 170 mil prédios rústicos, numa iniciativa pensada para transformar a floresta, marcada pela monocultura do eucalipto e pinheiro, com a reintrodução da agricultura e da silvopastorícia, explicou no mesmo evento o secretário de Estado da Conservação da Natureza, das Florestas e do Ordenamento do Território, João Paulo Catarino.

Estes contratos-programa implicam um pagamento de 1,8 milhões de euros para a identificação dos proprietários dos terrenos abrangidos, elaboração do cadastro e do próprio projeto e plano de execução, referiu.

Segundo João Paulo Catarino, será investido um total de 170 milhões de euros nas AIGP, para

Continue a ler este artigo no ECO.

Comente este artigo
Anterior A importância de clarificar o enquadramento legal do cão de proteção de gado em Portugal
Próximo GNR identifica homem de 60 anos por incêndio em Montalegre após queimada ilegal

Artigos relacionados

Últimas

Proprietários têm quatro anos para legalizar terrenos não reclamados

Ministro da Agricultura revela, na Renascença, outros incentivos dados a quem reclamar a propriedade de terrenos.

O Estado dá quatro anos aos proprietários para legalizar de forma gratuita os terrenos que ainda não foram reclamados. […]

Dossiers

No dia Mundial da Biodiversidade, ANIPLA relembra: Agricultura e Biodiversidade, um equilíbrio fundamental

No dia em que se assinala o Dia Internacional da Biodiversidade, é urgente relembrar alguns dos maiores desafios que o planeta enfrenta nos dias que correm e aos quais nenhum sector poderá […]

Nacional

Bispo de Portalegre espera que barragem do Pisão não demore “mais sessenta anos” a construir

D. Antonino Dias considera que as comemorações do 10 de junho em Portalegre ajudaram à decisão do governo em construir a barragem do Pisão, […]