Governo abre mercado do méxico à exportação de leite

Governo abre mercado do méxico à exportação de leite

Os produtores nacionais de leite e de produtos lácteos já podem exportar para o México. O Governo acaba de anunciar a abertura de mais este importante mercado, com um potencial de consumo que ronda os 120 milhões de consumidores. Esta é uma importante notícia para os produtores de leite, que têm agora disponível um novo mercado de grande dimensão. As empresas deverão contactar as Direções de Serviços de Alimentação e Veterinária da sua Região (DSAVR) ou os serviços competentes das Regiões Autónomas (RA) de forma a conhecerem os requisitos necessários para darem início à exportação.

Para a exportação para países terceiros é geralmente necessário, previamente ao início da exportação, serem acordados com as autoridades competentes dos países de destino as condições e requisitos fitossanitários ou sanitários que têm que ser cumpridos quer pelos operadores económicos quer pela autoridade competente nacional, na certificação dos produtos a serem exportados. Trata-se de processos complexos do ponto de vista técnico e que implicam, na maioria das situações, durante o processo de troca de informação entre as autoridades competentes, a realização de visitas técnicas por peritos dos países terceiros para verificação in loco das condições de produção e também dos controlos oficiais realizados aos produtos a exportar.

A internacionalização é uma das prioridades da política do Governo, constituindo um dos eixos mais importantes do reforço da competitividade do setor agroalimentar e da economia portuguesa, tendo em vista o aumento das exportações agroalimentares. Com o mercado do México, o Governo eleva assim para 51 o número de mercados abertos, correspondendo a 183 produtos (142 de origem, animal e 41 de origem vegetal). O Ministério da Agricultura está a trabalhar de forma intensa na abertura de 53 mercados, para viabilização da exportação de 251 produtos, sendo 200 da área animal e 51 da área vegetal.

Lisboa, 26 de setembro de 2018

Comente este artigo
Anterior Rede de Apoio à Atividade Económica do Tâmega e Sousa promove business sunset dedicado aos desafios do sector agroalimentar
Próximo Portugal e Espanha apostam na qualidade da água no Baixo Guadiana

Artigos relacionados

Dossiers

Previsão sazonal – jul. a set. 2020

Não existe sinal na anomalia mensal da precipitação total, sobre o território continental e Arquipélagos da Madeira e dos Açores, para os meses de julho, […]

Últimas

Oferta de emprego – Engenheiro Florestal – Mortágua

– Precisa-se de Licenciado em Engenharia Florestal ou similar […]

Últimas

Canábis: Primeira plantação no Baixo Alentejo em Aljustrel

[Fonte: Diário do Alentejo] O clima, a terra e água. Ingredientes chave para a fixação, em Aljustrel, do primeiro projeto de produção de canábis para fins medicinais no Baixo Alentejo. […]