Portugal e Espanha apostam na qualidade da água no Baixo Guadiana

Portugal e Espanha apostam na qualidade da água no Baixo Guadiana

Mértola, 27 de setembro de 2018

No próximo dia 3 de outubro, terá lugar, em Alcoutim, uma ação de demonstração e apresentação da metodologia de amostragem e análise das águas costeiras e de transição. Esta iniciativa destina-se a autarcas e técnicos da administração local, bem como a outras entidades com responsabilidades na gestão da água no espaço transfronteiriço do Baixo Guadiana.

Pretende-se com esta ação promover o aumento do conhecimento sobre a importância do recurso água, bem como dar a conhecer as medidas de avaliação e monitorização da qualidade da água levadas a cabo em Portugal e Espanha, em particular no que se refere ao enquadramento com a normativa vigente.

O programa da iniciativa inclui duas partes distintas, que se complementam, nomeadamente uma campanha de amostragem organizada pela Agência Portuguesa do Ambiente; e uma sessão informativa, que contará com a presença de entidades públicas dos dois países, com competências neste domínio, e especialistas das universidades de Huelva e Algarve que desenvolvem a sua atividade no âmbito destas temáticas.

O projeto VALAGUA – Valorização Ambiental e Gestão Integrada da Água e dos Habitats no Baixo Guadiana Transfronteiriço é uma ação integrada que pretende intervir em diferentes setores para promover a qualidade da água, e a proteção e valorização dos ecossistemas ribeirinhos da área de intervenção.

A iniciativa é co-financiada pelo Programa INTERREG V-A Espanha-Portugal (POCTEP) e promovida por entidades de ambos os países, nomeadamente, a Associação de Defesa do Património de Mértola (ADPM), como coordenador, a Diputación Provincial de Huelva (DPH), a Associação para o Desenvolvimento do Baixo Guadiana (ODIANA), a Universidade de Huelva (UHU), a Universidade do Algarve (UAlg), a Junta de Andalucía (CMAOT-JA), o Instituto da Conservação da Natureza e das Florestas (ICNF), a Confederación Hidrográfica del Guadiana (CHG) e a Agência Portuguesa do Ambiente (APA).

O âmbito de ação do VALAGUA é o Baixo Guadiana, entendido como o troço inferior da bacia hidrográfica do Guadiana, e inclui as sub-bacias do Rio Chança e do Rio Guadiana a sul da Ribeira de Cobres. No total, o projeto abrange 15 municípios de Portugal e Espanha: 2 deles no Baixo Alentejo (Serpa e Mértola) e 3 no Algarve (Alcoutim, Castro Marim e Vila Real de Santo Antonio); e 10 municípios em Huelva (Rosal de la Frontera, Santa Barbara de Casa, Paymogo, Puebla de Guzmán, El Almendro, El Granado, Sanlúcar de Guadiana, San Silvestre de Guzmán, Ayamonte e Isla Cristina).

Comente este artigo
Anterior Governo abre mercado do méxico à exportação de leite
Próximo 7 em cada 10 crianças não ingere fruta e legumes na quantidade recomendada pela OMS

Artigos relacionados

Comunicados

Sul do Baixo Alentejo sem Água

Nos últimos anos a região mais a sul do baixo Alentejo tem sido severamente afetada pela escassez de precipitação, em contraste com outras regiões do Pais. Esta situação tem levado a um grande défice hídrico em toda esta região, com o esgotamento de todas as reservas superficiais, […]

Últimas

InovMilho – Mais formação e conhecimento para os produtores de milho

A Estação Experimental António Teixeira, em Coruche, é oficialmente desde 26 de Setembro, um centro de formação e transferência de conhecimento para a cultura do milho. Novas tecnologias, como a taxa variável de sementeira ou a rega gota-a-gota enterrada, estão a ser testadas neste centro dinamizado pela ANPROMIS, […]

Comunicados

Syngenta ganha Prémio Inovação com fungicida Ampexio® WG Pepite

[Fonte: Syngenta]
A Syngenta arrecadou o primeiro lugar nos Agrow Awards, na categoria de Prémio Inovação para a Melhor Formulação, atribuído ao Ampexio® WG Pepite, um fungicida específico contra o míldio.

Os Agrow Awards, atribuídos em Londres a 12 de Novembro, […]