Florestas da Falperra, Lousã e Pinhal serão as próximas a reorganizar

Florestas da Falperra, Lousã e Pinhal serão as próximas a reorganizar

Já foram selecionadas as 20 regiões onde surgirão Planos de Reordenamento e Gestão de Paisagem, para diversificar a floresta e torná-la mais resiliente ao fogo. Das 20, quase todas (18) estão no Norte e Centro. As próximas a arrancar serão as das serras da Falperra e Padrela/Marão e Alvão; da Lousã e do Açor; e o Pinhal do Interior, indica ao JN o Ministério do Ambiente.

Com a criação de planos de paisagem, o Governo quer preservar a biodiversidade e tornar a floresta mais resiliente ao fogo – e, portanto, preservar sumidouros de carbono para reduzir as alterações climáticas (a floresta absorve dióxido de carbono, um dos principais causadores do aquecimento global).

O mapa enviado ao JN pelo gabinete do ministro Matos Fernandes mostra que as 20 áreas selecionadas incluem, por exemplo, o parque da Peneda Gerês ou a terra fria transmontana, bem como territórios que têm sido fustigadas pelos incêndios nos últimos anos, como o Paiva e Vouga ou as regiões devastadas pelos fogos de 2017.

Foram definidas mediante o perigo de incêndio e incluem as freguesias onde mais de 60% do território está em risco “alto e muito alto de incêndio”, desde que sejam contíguas e formem manchas com mais de 200 quilómetros quadrados de área. As freguesias concretas serão definidas pelo Instituto de Conservação da Natureza e da Floresta (ICNF) e pela Direção Geral do Território

Ainda falta legislar

O Programa de Transformação da Paisagem ainda tem que ser legislado, para que o Estado possa arrendar terrenos de proprietários que não queiram aderir aos planos de paisagem ou tomar posse da floresta sem dono conhecido.

Os donos que queiram aderir poderão candidatar-se financiamento. Haverá 174 milhões de euros, para apoiar a plantação de espécies resilientes ao fogo e compensá-los durante as primeiras décadas da nova floresta, até que seja rentável.

O artigo foi publicado originalmente em Jornal de Notícias.

Comente este artigo
Anterior Aprovada revisão orçamental para colmatar prejuízos do Lorenzo
Próximo Navigator presente no maior salão internacional agroalimentar - SISAB Portugal

Artigos relacionados

Nacional

Produção de leite para consumo e de leites acidificados cai em Outubro de 2019

A recolha de leite de vaca em Outubro de 2019 foi 148,9 mil toneladas, o que indica um aumento de 2,5% (+2,7% em Setembro), […]

Nacional

Ministra da Agricultura: “os nossos produtos têm a confiança dos consumidores, nomeadamente nos países terceiros.”

O Salão Internacional do Setor Alimentar e Bebidas – SISAB 2020, enquanto mostra mundial de empresas, marcas e produtos portugueses para a […]

Últimas

Marionetas, pontes e até angiógrafos. A montra dos fundos comunitários em Portugal

De que forma os fundos comunitários contribuem para dia-a-dia e para melhorar a qualidade de vida dos portugueses? A Mostra PT2020 tentou dar resposta com um leque de exemplos, […]