Eliminar todos os vestígios de produtos químicos das frutas, legumes e cereais

Eliminar todos os vestígios de produtos químicos das frutas, legumes e cereais

Foto: Félix García , CEO do Kimitec Group

Kimitec Group assume como principal diretriz, eliminar todos os vestígios de produtos químicos das frutas, legumes e cereais que consumimos diariamente.

“A química é boa em muitos setores, mesmo na indústria farmacêutica, mas não é bom que um tomate contenha produtos químicos, quando nosso corpo não precisa deles, e pode haver uma alternativa tecnológica que possa nos dar a solução”, explica Félix García , CEO do Kimitec Group.

Com essa motivação de bandeira, o Kimitec Group faz uso da biotecnologia, graças à qual combina quatro tecnologias naturais, como botânica, microalgas, microbiologia e química verde, para desenvolver soluções para o controle de pragas e proporcionar maior produtividade das culturas.

“Na agricultura, moléculas de síntese química são normalmente usadas para essas tarefas. Na Kimitec, substituímos essas moléculas de síntese química pela sinergia dessas quatro tecnologias naturais, cuja combinação chamamos de 4Health, mas sempre com a condição de que nossa solução tenha a mesma eficácia que a química, para substituí-la. Isso é feito principalmente em soluções para a promoção do crescimento de plantas, como bioestimulantes, e em soluções para proteção de culturas contra pragas, como biopesticidas”, afirma o CEO da empresa.

O Kimitec Group define sua maneira de desenvolver soluções naturais para a agricultura como “biotecnologia disruptiva” e, nas palavras de García, “falar sobre interrupção é falar sobre fazer as coisas de maneira diferente, e tentamos fazê-lo.

Na química, existe uma molécula que elimina uma certa praga, mas desde o início percebemos que, ao aplicar apenas a botânica, não seríamos tão eficazes quanto nos produtos de síntese química, por isso tivemos que investigar como combinar tecnologia, vendo problemas sem preconceitos, em 360 graus, para obter a mesma eficácia. ”

Poder tecnológico

Dessa forma, o Kimitec Group conseguiu se estabelecer em torno de um grande poder biotecnológico, através da aplicação de protocolos farmacêuticos, materializados pela construção de seu centro de P&D: “É o maior centro de Biotecnologia aplicada na Europa: 6.000 metros quadrados, apenas P&D, cuja arquitetura descreve o modelo disruptivo da Kimitec e isso se deve à demanda de produção de tecnologia que possuímos.

Muitas multinacionais estão interessadas em comprar o Kimitec Group, mas ele não está à venda, por isso oferecemos a possibilidade de trabalhar com elas no desenvolvimento de tecnologias conjuntas, e esse centro é um sinal da solicitação de trabalho que temos ”, explica Felix García, que afirma que o Grupo Kimitec tem cerca de 100 projetos abertos continuamente em linhas de pesquisa como bioestimulantes, probióticos, biopesticidas, primos para indução de resistência em plantas ou tratamento de sementes: “ao entrar em extenso, exigem tratamento de sementes para germinar antes ou proteger contra pragas ”, bem como avanços que estão preparando linhas de desenvolvimento de produtos para a aquicultura e pecuária a médio prazo.

O artigo foi publicado originalmente em Voz do Campo.

Comente este artigo
Anterior Produção de laranja em Portugal atinge o nível mais elevado desde 1986
Próximo Novalmendro. Plantações de amendoal em sebe com rega deficitária

Artigos relacionados

Nacional

CAMB regista crescimento de 95%, face produção de azeitona em 2017

É caso para se falar de uma campanha recorde. Ainda a campanha não terminou e a CAMB (Cooperativa Agrícola de Moura e Barrancos) já registou 45 milhões de azeitona rececionada. […]

Nacional

Projeto de crowdfunding quer promover agricultura biológica

Carrefour e Danone são apenas algumas das empresas do setor agroalimentar que já se juntaram ao projeto MiiMOSA Transition, […]

Nacional

Fundo Internacional para o Desenvolvimento Agrícola vai disponibilizar 134 milhões de euros para Moçambique

O Fundo Internacional para o Desenvolvimento Agrícola (FIDA) vai disponibilizar cerca de 150 milhões de dólares (cerca de 134 milhões de euros) para agricultura em Moçambique. […]